Palestra Simon Caplum – O retorno a Israel

Beit HaDerekh

O Retorno a Israel

Gênesis 12:1-3 Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção.E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.

O Eterno faz um pacto, uma aliança com Abraão. E, D’us diz a Abraão para deixar Haran e ir para onde ELE o guiar.

D’us diz, ainda, que seu pai e os outros parentes de seu pai não são bem-vindos. E, assim, vemos D’us dividindo, elegendo e separando.

D’us então declara um conjunto de promessas:

1. D’us fará de Abraão e seus descendentes uma grande nação.

2. D’us abençoaria Abraão e o próprio Abraão seria uma bênção.

3. D’us abençoará aqueles que abençoarem Abraão e D’us amaldiçoará aqueles que amaldiçoarem Abraão.

4. D’us tornará grande o nome de Abraão. (D’us fará grande a reputação de Abraão)

A partir daquele momento, D’us espera que as pessoas reconheçam que Abraão é o escolhido por D’us para gerar um povo separado para Ele.

Nem todos os descendentes de Abraão têm essa bênção. D’us já havia estabelecido o padrão para esse conceito: dividir, eleger, separar.

É através do processo desta aliança que o povo separado de D’us (Israel) foi criado.

Quando D’us faz uma aliança com Sua criação, essa aliança é tecida no espaço e no tempo e afeta como o universo opera; e também o reino espiritual, porque o reino espiritual é a FONTE de uma aliança feita por D’us.

Por exemplo: quando D’us criou o universo, não havia morte. As leis do universo diziam que tudo o que foi criado deveria existir para sempre.

Algo mudou. A morte entrou no mundo quando Adão e Eva pecaram.

A morte a que se refere à Bíblia é sobre a queda do homem e é a morte somente dos seres vivos. Mas se a Queda do Homem não iniciou a morte do Universo, o que iniciou?

Segundo o Talmud o que iniciou a decadência do Universo é exatamente o que ocorreu antes da queda de Adão: que foi a queda de Lúcifer, chamado Satã.

D’us nos instrui, dando-nos padrões. Ele descreve e explica um evento e, mais tarde, um evento semelhante ocorre como instrução para nós.

Sabemos que a queda de Satã ocorreu algum tempo antes da queda de Adão, obviamente, porque Satã já estava na Terra quando Adão chegou.

O crime de Satã (orgulho e rebelião) ocorreu no reino espiritual, não no físico, certo? Todas as indicações bíblicas são de que até Lúcifer pecar não havia nenhum mal no reino de D’us.

Com a queda de Lúcifer, D’us mudou a maneira do Seu universo operar: tudo o que existia começaria a deteriorar-se e a morrer.

Adão e Eva chegaram a um planeta, que já estava em decadência devido à introdução do pecado por Satã que trouxe isso quando foi expulso do céu.

Adão e Eva foram infectados com o pecado por Satã o que trouxe morte às criaturas vivas. O universo inteiro exceto o reino espiritual estava decaindo.

Os sábios dizem que o tempo começou a ser contado no momento da rebelião de Satã, pois o tempo é essencialmente uma medida de DETERIORAÇÃO.

Se não houver decadência, não haverá tempo. Quando os cientistas falam que o nosso universo está envelhecendo: o que eles querem dizer é que está se deteriorando, acabando, morrendo.

Espiritualmente, as coisas também mudaram: o mal teve que ser tratado.

Um Salvador precisava ser preparado para salvar o homem da sua completa aniquilação. Um abismo tinha que ser criado para aprisionar no momento apropriado Satã. Anjos se tornariam guerreiros.

Porque o pecado entrou no mundo, a morte entrou no mundo; a queda de Lúcifer trouxe a decadência do planeta juntamente com os astros e as estrelas, depois a queda do homem trouxe a decadência dos seres vivos. Antes disso acontecer, não havia necessidade de um SALVADOR nem de uma morte expiatória.

A partir deste momento D’us inicia uma linhagem de promessa onde Ele teria que dividir, eleger e separar para escolher a genealogia deste Salvador, e este Salvador seria Ele mesmo, o próprio D’us de Israel,abrindo mão de todo o seu poder,e se manifestando como Homem, porém sem pecado.

E o mundo passaria a ter somente duas linhagens: A do Eterno, aqueles que O Obedecem e a contrária ao Eterno, aqueles que o desobedecem.

O aspecto mais importante dessa aliança em nossos dias é que D’us abençoa aqueles que abençoam Abraão e seus descendentes e amaldiçoa aqueles que amaldiçoam Abraão e seus descendentes.

Essas promessas não são obsoletas; são dadas na forma de uma aliança, tornaram-se uma lei do universo espiritual e físico.

Embora houvesse OUTROS filhos de Abraão, a Bíblia se refere a um em particular que não era Isaque: Ismael.

Ocorreu uma divisão importante na linhagem da promessa da aliança. Isaque é que herdaria todas as promessas contidas na aliança que D’us fez com Abraão.

De Isaque foi para Jacó. Então, tudo o que foi originalmente dado a Abraão foi entregue a Jacó (Israel).

A família de Abraão era tão pagã quanto o resto do mundo naquele momento, mas o Eterno o separou, após te-lo dividido e o elegido como membro dessa linhagem.

Os planos de D’us para Abraão não poderiam ser realizados permanecendo ele entre um povo pagão. Esse padrão constante de D’us de dividir, eleger e separ continua, desde o pecado do primeiro homem até a criação de uma nova nação; um povo separado para D’us e permanecerá até o juízo final.

A parte indispensável deste processo é a separação. A separação é um pré-requisito para servir a D’us e fazer parte de Seu povo.

Efésios 1:4 Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor;


Ser santo é ser separado por D’us. Essa separação pode envolver família, amigos, Igreja, Sinagoga. Mas Não resista, pois D’us irá finalizar a sua linhagem quer você concorde ou não.

Se Ismael e Isaac tiveram como pai o Patriarca Abraão, com quem a aliança foi feita, porque apenas Isaac faz parte da linhagem da promessa e Ismael não?

Enquanto a primogenitura (genealogia) estabelece sua identidade FÍSICA, é a ELEIÇÃO E A SEPARAÇÃO feita pelo Eterno é que estabelece sua identidade ESPIRITUAL, SOMENTE ELE pode te colocar na linhagem da promessa.

É necessário um ato de D’us, uma eleição de D’us para fazermos parte da linhagem da promessa.

Portanto, temos com a eleição de Isaac e a rejeição de Ismael, uma bifurcação enorme na estrada. Uma direção levou aos hebreus, a outra longe dos hebreus.

Entre os filhos de Isaque: Jacó e Esaú, D’us declara que Sua escolha era por Jacó e não por Esaú apesar dele ser o primogênito.

Tanto Jacó quanto Esaú NASCERAM de Isaque, um pai hebreu herdeiro da promessa. Por nascimento AMBOS eram da linhagem de D’us. Mas não para D’us que novamente os dividiria, por SEPARAÇÃO.

Foi a ELEIÇÃO soberana de D’us que escolheu Jacó e rejeitou Esaú.

E este padrão continuou assim por mais de 1800 anos. 20 séculos depois de Jacob, vamos encontrar mais uma bifurcação na estrada; a chamada NOVA ALIANÇA.

A nova aliança é uma profecia do Antigo Testamento, sobre uma época em que as alianças e as leis físicas dos hebreus, chamados de Torá, seriam escritos espiritualmente no coração de alguns homens.

Não era no coração de todos os homens, mas apenas naqueles que foram eleitos por D’us como sendo da linhagem D’ele. E a maneira como isso aconteceria seria por meio de um Messias.

E essa nova bifurcação nos leva a um círculo completo; “todas as famílias da Terra serão abençoadas” através das sementes de Abraão.

Gênesis 26:4 E multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e darei à tua descendência todas estas terras; e por meio dela serão benditas todas as nações da terra;

Isto envolve a eleição de D’us e, a chave para tudo isso, é o Messias.

Alonguei-me um pouco sobre a vida dos Patriarcas para entendermos que o Eterno criou um povo separado para Ele, para deste povo trazer o Messias.

Mas se Yeshua retornasse à Terra hoje, ele reconheceria a continuidade dos seus ensinamentos?

A humanidade distorceu estes ensinamentos e se distanciou do que Moisés, os Profetas, Yeshua e seus Apóstolos realmente ensinaram. 

Jesse Lyman Hurlbut  escreve:

 “Os serviços de adoração aumentaram em esplendor, mas eram menos espirituais e saudáveis ​​do que os dos tempos antigos. As formas e cerimônias do paganismo gradualmente entraram no culto. 

Algumas das antigas festas pagãs se tornaram festivais da igreja com mudança de nome e de culto.  A ceia do Senhor se tornou um sacrifício no lugar de um memorial; e o ancião evoluiu de pregador para sacerdote “Jesse Lyman Hurlbut (Instituto Bíblico dos USA 1843-1930 p. 79)

Lembre-se desta advertência:“Pois sei que, depois da minha partida, lobos selvagens entrarão entre vocês, sem poupar o rebanho. Também dentre vós mesmos homens se levantarão, falando coisas perversas, para atrair os discípulos para si mesmos. Portanto, observe e lembre-se de que durante três anos não deixei de advertir a todos noite e dia com lágrimas ”(Atos 20: 29–31).

Paulo percebeu a profundidade da apostasia que dominaria a maior parte da Igreja. Ele então “não deixou de avisar a todos, noite e dia com lágrimas”! 

Por isso, Yeshua exortou perto do fim da Era Apostólica: Apocalipse 2: 4-5: “No entanto, tenho contra você que você deixou seu primeiro amor. Lembre-se, portanto, de onde você caiu; arrependa-se e faça as primeiras obras; caso contrário, virei a você rapidamente e removerei o candelabro do lugar – a menos que você se arrependa

A maioria “concordou” com as crenças e as tradições ensinadas a eles quando crianças, mas, Satã é capaz de enganar a humanidade objetivando destruir, pois ele veio para roubar, matar e destruir.

Não devemos nos surpreender que a humanidade tenha tentado refazer os ensinamentos de Yeshua à sua maneira. A humanidade sempre tentou encontrar seu próprio caminho sem D’us.

Judas 1:3 Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da comum salvação, tive por necessidade escrever-vos e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos.

A questão principal, então, é o nosso desejo e vontade de voltarmos à verdadeira “fé que foi uma entregue aos santos” (Judas1: 3). 

O livro de Atos deixa claro que a “sede” terrestre da Igreja de D’us era a Igreja de Jerusalém. Foi onde o Espírito Santo foi derramado originalmente (Atos 2). 

Foi lá que Pedro, Tiago e João exerceram a maior parte de seu ministério.

Atos 8: 1; E também Saulo consentiu na morte dele. E fez-se, naquele dia, uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judéia e da Samaria, exceto os apóstolos.

Como escreveu o renomado historiador Edward Gibbon: “Os quinze primeiros bispos de Jerusalém foram todos judeus circuncidados; e a congregação sobre a qual presidiram uniu a lei de Moisés à doutrina de Cristo”.

Gálatas 2:1, 2 Depois, passados catorze anos, subi outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando também comigo Tito. E subi por uma revelação e lhes expus o evangelho que prego entre os gentios e particularmente aos que estavam em estima, para que de maneira alguma não corresse ou não tivesse corrido em vão.

Em Jerusalém viviam os principais apóstolos. Aqui era a verdadeira sede da igreja de Yeshua não em Roma!

Paulo nunca esqueceu por um momento o verdadeiro local de nascimento do evangelho.  Olhe o que a liderança de Jerusalém disse a Paulo:

Atos 21:20 E, ouvindo-o eles, glorificaram ao Senhor e disseram-lhe: Bem vês, irmão, quantos milhares de judeus há que creem, e todos são zelosos da lei.

Alguns judeus judaizantes que criam que a lei era meio para a salvação, espalharam que Paulo estava dizendo aos judeus nazarenos para se afastarem de suas heranças.

Paulo pediu à Igreja de Jerusalém que fizesse uma cerimônia de oferecimento demonstrando que ele não estava ensinando coisa alguma contra as Leis de D’us. Os líderes de Jerusalém exortaram Paulo:

At. 21: 24 “Leve esses homens junto e seja purificado com eles e pague todas as despesas relacionadas com o barbear de suas cabeças. Isso permitirá que todos saibam que não há verdade nos relatos que ouviram sobre você e que você observa regularmente a Lei.

Essa cerimônia era um voto NAZIREU. E Paulo participa dessa cerimônia mostrando a todos nós a sua obediência à lei, e não como alguém que tentou acabar com as leis de D’us.

Quem faz um voto nazireu nunca irá falar contra as leis de D’us.

 (A palavra nazireu significa algo como “consagrado” ou “separado”. Esta palavra vem do hebraico nazir, que deriva da raiz nazar, נֵזֶר “separar”, “consagrar” ou “abster-se).

Creio que todos entendem que, para ser um sacrifício aceitável pelos pecados da humanidade, Yeshua teve que cumprir a Lei perfeitamente. Como Ele afirmou em Mt 5:17 “Não pense que eu vim destruir a Lei ou os Profetas. Não vim destruir, mas cumprir. 

Yeshua disse que nem “YUD” passariam da lei até que o céu e a terra passassem. Visto que o céu e a terra não passaram, precisamos entender que a lei permanece. 

Yeshua veio para “magnificar” a lei de D’us e mostrar seus propósito mais claramente. Como diz:

     Isaías 42:21: 21Foi do agrado do Senhor, por amor da sua justiça, engrandecer a lei e torná-la gloriosa.

O que Yeshua procurou abolir foram os abusos da lei e as tradições feitas pelos homens.  Mas Sua vida mostrou que a lei era e continuaria sendo muito relevante para aqueles que procuravam obedecê-Lo. 

Não se pode entender adequadamente Seus ensinamentos sem entender as escrituras do Antigo Testamento e a lei que elas contêm. Yeshua ensinou o Antigo Testamento, e Ele viveu por ele, assim como Seus seguidores.

Vimos que Yeshua confirmou claramente a lei de D’us apesar de Paulo ser acusado falsamente de ensinar que os cristãos não precisam mais cumpri-la.

Eles deram como certo que o evangelho era contínuo com os ensinamentos de Moisés; para eles, a Nova Aliança não significava que a aliança feita entre D’us e Israel no AT não estivesse mais em vigor. 

Eles ainda observavam as festas da Páscoa (Pessach), Pentecostes (Shavuot) e Tabernáculos (Sucot); eles também continuaram a manter o sábado semanal e os regulamentos mosaicos relativos à comida. 

 Segundo alguns estudiosos, estes ensinamentos eram tão profundos que, até a queda de Jerusalém em 70 dC, eram o elemento dominante no movimento cristão ”(Judeo-christianisme,“ Paul and Christian Christianity”, Davies, 1972, p. 72, citado em Bacchiocchi, Do sábado ao domingo, p. 151).

Nos primeiros 40 anos do cristianismo, o “elemento dominante” na Igreja ainda estava seguindo o exemplo de Yeshua de manter os sábados semanais e anuais ordenados por D’us. Eles ainda estavam seguindo a Igreja de D’us em Jerusalém!    

QUEM SE ATREVEU A MUDAR TUDO ISSO?

Alguns ensinam erroneamente que, depois que Jerusalém caiu e o Templo foi destruído em 70 dC, os cristãos não deveriam mais cumprir a lei.

É importante notar o que o apóstolo João, o último apóstolo sobrevivente, escreveu no livro do Apocalipse depois que o templo foi destruído. 

 “Bem-aventurados os que cumprem Seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida e possam entrar pela cidade pelas portas” (Apocalipse 22:14). 

 Estavam cumprindo a lei e vivendo como Yeshua vivia, continuaram celebrando o sábado do senhor e participando das festas ensinadas na bíblia, muito depois que o templo foi destruído!  (Encyclopædia Britannica, 11ª ed., Vol. 8, p. 828).

Mas Satã enganou a maioria a acreditar que o cristianismo era uma “nova religião” – aparentemente separada do Antigo Testamento e dos ensinamentos que D’us deu através de Moisés. 

Mas os fatos bíblicos e históricos mostram queos ensinamentos de Yeshua eram uma continuação – uma “ampliação” dos ensinamentos que D’us deu por meio de Moisés – não algo novo! 

 “Agora, portanto, você não é mais estrangeiro, mas concidadão com os santos e membros da família de Deus, tendo sido edificado sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo o próprio Jesus Cristo a principal pedra de esquina ”(Efésios 2: 19–20). 

Entenda: a parte básica, o “fundamento”, do chamado cristianismo, foram os escritos e ensinamentos dos profetas do Antigo Testamento. É aqueles escritos que Yeshua e os Apóstolos chamavam de “Escritura”!Pois Yeshua era um judeu circuncidado. (Lc 2:21-22)

Era “costume” de Yeshua guardar o sábado – junto com os outros judeus

Lucas 4:16 E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga e levantou-se para ler.

Longe de revogar o sábado de D’us, Yeshua disse que o sábado foi feito para o “homem” – não apenas para os judeus, e que ele era o “Senhor” do sábado. 

Portanto, o sábado é, o verdadeiro “Dia do Senhor”!

A verdadeira Igreja de D’us – denominada assim 12 vezes no Novo Testamento foi iniciada no dia de Pentecostes (Shavuot/Semanas), um dos sete sábados anuais que D’us deu a Israel. 

Na sua segunda vinda, é provável que Yeshua retornará com “sétima trombeta” retratada pela Festa das Trombetas (Rosh Hashaná), outro dos Dias Santos da Bíblia. 

Apocalipse 11:15  E tocou o sétimo anjo a sua trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: O reino do mundo passou a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos.  

E o Eterno inspirou Zacarias a explicar que, após a segunda vinda do Mashiach, o mundo inteiro estará observando a Festa dos Tabernáculos!  (Sucot) (Zacarias: 14: 16-19). 

 Zacarias: 14: 16-19 Então todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém, subirão de ano em ano para adorarem o Rei, o Senhor dos exércitos, e para celebrarem a festa dos tabernáculos.    17 E se alguma das famílias da terra não subir a Jerusalém, para adorar o Rei, o Senhor dos exércitos, não cairá sobre ela a chuva.    18 E, se a família do Egito não subir, nem vier, não virá sobre ela a chuva; virá a praga com que o Senhor ferirá as nações que não subirem a celebrar a festa dos tabernáculos.    19 Esse será o castigo do Egito, e o castigo de todas as nações que não subirem a celebrar a festa dos tabernáculos.   

Veja o que Isaias diz: “’E acontecerá que de uma Lua Nova para outra e de um sábado para outro, toda a carne virá adorar diante de Mim’, diz o Senhor ”(Isaías 66:23).

Aqueles que observam os sábados e as festas bíblicas são, de fato, “pioneiros”. Eles não estão apenas seguindo o “padrão” da Igreja do 1º Século ensinado e por Yeshua; eles são “pioneiros” na adoração de que fala a profecia.

Celebrar o Shabbat é adorá-lo, como Ele ordenou é lembrar que o  D’us de Israel é o Criador de tudo o que há como diz  Êxodo 20: 8–11: : Lembra-te do dia do sábado, para santificá-lo. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra, mas o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há e ao sétimo dia descansou; portanto, abençoou o Senhor o dia do sábado e o santificou.

No quarto século depois de Cristo, o imperador romano Constantino adotou o cristianismo como sua religião, mas a adaptou segundo seus interesses e influência imperial.

Sob a direção de Constantino, o Concílio de Nicéia foi realizado em 325 dC. Constantino presidiu a sessão de abertura do conselho e participou de suas discussões, acreditando que era seu dever como imperador supervisionar a criação da doutrina da igreja. 

Mas Constantino usou o Conselho de Nicéia para infundir sua formação pagã no que se tornaria o cristianismo “oficial”.

Constantino era um Adorador do deus Sol, pois seu arco triunfal, construído, é um testemunho ao deus-sol’. Eles realizavam seus cultos no domingo, ajoelharam-se em direção ao leste e faziam a festa da natividade em 25 de dezembro, o aniversário do sol no solstício de inverno. Constantino nunca abandonou a adoração ao sol e manteve o sol em suas moedas. Ele tornou o domingo O dia de descanso ”(A History of Christianity, Paul Johnson, 1976. Pg 67/69).

Séculos depois, os “reformadores” protestantes viram alguns dos problemas dessa religião romana. Mas a maioria desses conceitos pagãos foi tão profundamente inculcada em suas mentes que os reformadores fizeram apenas algumas mudanças “superficiais”. A “REFORMA” REFORMOU MUITO POUCO

Martin Luther – o “pai” da Reforma – e outros reformadores ainda mantinham atitudes hostis contra todas as coisas “judaicas”, incluindo o sábado de Yeshua, as festas anuais e a obediência aos Dez Mandamentos.  

Lutero tentou converter os judeus a todo custo, mas em vão. Seu ódio contra os judeus desabrochou. Seus principais trabalhos sobre os judeus são “Sobre os judeus e suas mentiras”, e “Do Inefável Nome e da Santa linhagem de Cristo” – reimpressas cinco vezes dentro de sua vida – ambas escritas em 1543, três anos antes de sua morte.

Nesses trabalhos Lutero afirmou que os judeus já não eram o povo eleito, mas o “povo do diabo”. A sinagoga era como “uma prostituta incorrigível e uma devassa maléfica” e os judeus estavam “cheios das fezes do demônio,… nas quais se rebolam como porcos”. Lutero aconselhou as pessoas a incendiarem as sinagogas, destruindo os livros judaicos, proibir os rabinos de pregar, e apreender os bens e dinheiro dos Judeus e também expulsá-los ou fazê-los trabalhar forçosamente. Lutero também parecia aconselhar seus assassinatos escrevendo “É nossa a culpa em não matar eles.”, (Michael, Robert. “Luther, Luther Scholars, and the Jews,” Encounter, 46 (Autumn 1985) No. 4:343.)

…Foram a cidade de Estrasburgo para proibir a venda das obras antijudaicas de Lutero; porém seu pedido foi-lhe negado quando um pastor luterano de Hochfelden argumentou em um sermão que os seus paroquianos deviam assassinar judeus. O antissemitismo de Lutero persistiu após a sua morte, ao longo de todo o ano 1580, motins expulsaram judeus de vários estados luteranos alemães.

A opinião predominante entre os historiadores é que a sua retórica antijudaica contribuiu significativamente para o desenvolvimento do antissemitismo na Alemanha, e na década de 1930 e 1940 auxiliou na fundamentação do ideal do nazismo de ataques a judeus. (O próprio Adolf Hitler em sua autobiografia Mein Kampf considerou Lutero uma das três maiores figuras da Alemanha, juntamente com Frederico, o Grande, e Richard Wagner.)

Quando essa forma de “cristianismo” se tornou a religião do estado, massas de antigos pagãos se “converteram”. Muitos o fizeram por conveniência e não por convicção, e mantiveram suas antigas crenças no particular. 

À medida que elementos novos e falsos foram adicionados a esse “cristianismo”, os elementos autênticos foram eliminados.

1 Coríntios 10: 1–4, Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem; e todos passaram pelo mar, e todos foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar, e todos comeram de um mesmo manjar espiritual, e beberam todos de uma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a pedra era Cristo.

”Como vários comentários da Bíblia reconhecem – a Personalidade espiritual que lidou com o antigo Israel foi Yeshua. Ele mesmo disse que “ninguém” jamais veria a “D’us”.

No entanto, logo após a entrega dos Dez Mandamentos a Israel, descobrimos que o “D’us de Israel” realmente apareceu para alguns dos líderes!

Então subiram Moisés, também Arão, Nadabe e Abiú, e setenta dos anciãos de Israel, e viram o Deus de Israel. E havia debaixo de Seus pés uma obra pavimentada de pedra de safira, e era como o próprio céu em sua claridade. Mas sobre os nobres dos filhos de Israel, Ele não pôs a mão. Então eles viram Deus, e comeram e beberam ”(Êxodo 24: 9–11). 

Assim, mais de 70 dos líderes de Israel “viram o D’us de Israel” Eles viram O VERBO, que mais tarde se tornou carne,Yeshua o Mashiach (Jo1: 1–12)

Poderia algo ser mais claro?

Foi Yeshua que literalmente andou e conversou com Adão e Eva no Jardim do Éden. Ele foi quem lidou diretamente com Abraão, Isaque e Jacó. Ele foi quem falou “face a face” com Moisés (Números 12: 8). 

O QUE UM CRISTÃO DEVE FAZER?

Não queremos judaizar ninguém. Queremos voltar aos ensinamentos originais de Yeshua. Isso se chama o Retorno a Israel.

Foi próprio Deus que deu aos judeus um espírito de entorpecimento, olhos para não verem, e ouvidos para não ouvirem, até o dia de hoje (Rm 11:5).

E com certeza este entorpecimento esta mansamente desaparecendo.Temos visto este desejo brotar em todo o mundo.

E Paulo pergunta: “…Por ventura tropeçaram para que caíssem ? de maneira nenhuma, antes, pelo tropeço veio a salvação dos gentios, para os incitar ao ciume.” (Rm11:11).

Paulo, diz: “Se o tropeço deles foi riqueza para o mundo, e a sua diminuição a riqueza para os gentios, quanto mais a sua plenitude” (Rm11:12).

Ou seja, se eles errando foram bênçãos para o mundo, imaginem se eles tivessem reconhecido o Messias?

A humanidade estava no seu paganismo, na idolatria, separada do Deus de Israel, e agora, eles (gentios) poderiam receber o Messias Judeu e tornarem-se participantes da família de Deus e terem a vida Eterna.

A raiz da “oliveira” foi constituída pelos nossos pais da fé, Abraão, Isaac e Jacó. Depois, seguindo a história, temos a formação do povo hebreu, os reis de Israel, as 12 tribos, os profetas e, finalmente o Messias.

No lugar dos galhos quebrados foi enxertado o povo gentio que Paulo o chama de zambujeiro, ou seja, árvore que não dá fruto. Pois, somente na pessoa do Messias pode-se produzir frutos! ( Gálatas 5:22).

Juntos com os judeus, os zambujeiros, agora enxertados na oliveira, começam a receber a mesma seiva (bênçãos), formando, assim, o Israel de Deus.

O Israel de D’us é formado de judeus e não judeus e agora podem no Messias dar frutos, participando da mesma raiz, onde o fundamento de nossa fé está alicerçado  nos profetas do Antigo Testamento, nos apóstolos e na pedra Angular, que é o próprio Messias  (Efésios 2:20).

É tremendamente profundo entender o significado desta oliveira. Voce é livre para obedecer as instruções da Torá que foram faladas aqui. Mas ninguém pode te obrigar e exigir isto de você.

É como o amor. É como se sua esposa dissesse a Voce: ME AME MAIS!

e voce responderia: Impossivel eu já te amo tanto!.

Mas atente e se voce dissesse:  O QUE EU PRECISO FAZER PARA VOCE SE SENTIR MAIS AMADA?

Então ela diria : Tome o café da manha comigo, não fique lendo até tarde, faça isto , faça aquilo.

E assim é com o Eterno. Voce diz eu te amo, eu te amo, eu te amo, eu te amo.

Mas talvez voce nunca tenha perguntado a Ele: SENHOR COMO FAÇO PARA TE AMAR MAIS? Provavelmente Ele te dirá:

João 14:21 Aquele que tem os meus mandamentos e obedece a eles, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e Eu também o amarei e me revelarei a ele.”

João 14:23 … “Se alguém me ama, obedecerá à minha Palavra; e meu Pai o amará, e nós viremos até ele e faremos nele nosso lar.

À medida que você desejar mais de D’us, faça esta pergunta a Ele e Ele te mostrará o que você deve obedecer para amá-lo mais. E a medida que você avançar em obedecê-lo,você terá mais intimidade com Ele e vai querer obedecê-lo mais e isto se tornará um circulo virtuoso.

Neste momento gostaria que vocês começassem a se abrir para estas grandes bênçãos e revelações advindas de uma simples pergunta: SENHOR COMO FAÇO PARA TE AMAR MAIS?