InglêsPortuguês  | Hebraico

PARASHAT VAYÊSHEV – E ele se estabeleceu

Beit HaDerekh

PARASHAT VAYÊSHEV E ele se estabeleceu

Gn 37:1 a 40:23
Am 2:6 – 3:8
Mt 14:1 – 15:39 

A Parashat Vayêshev Resumida

A Parashá Vayêshev inicia descrevendo o grande amor de Jacó por seu filho Josef (Yossef), o que acaba provocando o ódio de seus irmãos. O ciúme deles cresce quando Josef lhes conta os dois sonhos que indicam que eles serão um dia submissos a ele.

Jacó envia Josef para vigiar seus irmãos que estão guardando o rebanho longe de casa, e ao vê-lo se aproximar, planejam matá-lo. Rubens convence os irmãos a não matarem Josef, mas é incapaz de salvá-lo totalmente quando os irmãos vendem Josef como escravo no Egito.

Após mergulhar o casaco de Josef em sangue de animal, eles voltam ao pai, que acredita que seu amado filho foi morto por um animal selvagem.

A Torá faz uma digressão (pausa, interrupção) para relatar a história de Judá e sua nora, Tamar.

A narrativa volta-se então para Josef no Egito, onde se torna um escravo que obtém sucesso e é encarregado dos negócios da família de seu amo Potifar.

A esposa de Potifar tenta de todas as formas seduzir Josef, que resiste sempre ao assédio. Ao sentir-se recusada, ela grita dizendo que ele tentou violentá-la.

Josef é jogado na prisão onde novamente ele alcança a posição de liderança, desta vez ficando encarregado dos prisioneiros. Dez anos depois, o mordomo chefe do faraó e o padeiro são jogados na mesma prisão.

Certa noite eles têm um sonho intrigante, que Josef interpreta de forma acurada, e a porção conclui quando o mordomo retorna a seu cargo antigo e o padeiro é executado, como Josef havia predito.

O primeiro sonho que Josef revela a seus irmãos é sobre os feixes do campo:

Gênesis 37:7, 8

Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava, e também ficava em pé, e eis que os vossos molhos o rodeavam, e se inclinavam ao meu molho.
Então lhe disseram seus irmãos: Tu, pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso ainda mais o odiavam por seus sonhos e por suas palavras.

Gênesis 37:9-11

E teve José outro sonho, e o contou a seus irmãos, e disse: Eis que tive ainda outro sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a mim.
E contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai, e disse-lhe: Que sonho é este que tiveste? Porventura viremos, eu e tua mãe, e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra?

Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai, porém guardou a palavra no seu coração.

Este texto tem algo curioso, pois o seu pai diz: Que sonho é este que tiveste? Porventura viremos, eu e tua mãe, e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra?

Mas a mãe de José já tinha falecido então como ela iria se prostrar diante do filho? Ela nunca poderia se prostrar diante do filho, pois já tinha morrido em torno de 2 a 3 anos. Então porque Jacó diz isto?

O Talmud explica que este sonho é um sonho profético e que diz respeito à vinda do Mashiach. Este texto que lemos termina dizendo que seu pai guardou a palavra no seu coração.

O Rab. Lubavite no Talmud Livro Tessirrot vol. 35 pag. 160 diz que Jacó estava esperando o Mashiach Ben Yossef, ou seja, o precursor do Mashiach Ben David.

E o que é isso? De acordo com o Judaísmo Tradicional, haverá duas manifestações do Messias, e alguns acham que são dois Messias diferentes. Outros acham que é um único Messias.

Os Rabinos ortodoxos explicam que existe um Messias que é filho de Josef, por isso Ele é chamado de Mashiach Ben Yossef. E existiria um outro Messias, ou uma outra vinda do Messias, que seria o Messias filho de David. Conhecido como Mashiach Ben David.

Então no Judaísmo tradicional, existem 2 Messias, ou um só Messias, que se apresenta em duas etapas ou em dois momentos diferentes. O primeiro é o Messias filho de Josef, conhecido como Mashiach Ben Yossef.

 

E o segundo é o Mashiach Ben David, o Messias filho de David.

Segundo o Talmud o primeiro Messias tem algumas características:

Ele vem para sofrer e Ele vem para morrer, então o Mashiach Ben Yossef ele vem para sofrer e Ele morre.

E depois, em um outro momento histórico, virá o Mashiach Ben David que é aquele que vem para reinar, para estabelecer o Reino Messiânico aqui na terra. E de onde os Rabinos tiraram esta historia de Mashiar Ben Yossef e Mashiar Ben David?

Vamos ver o Mashiar Ben Yossef.

Obadias 1:18

E a casa de Jacó será fogo, e a casa de José uma chama, e a casa de Esaú palha; e se acenderão contra eles, e os consumirão; e ninguém mais restará da casa de Esaú, porque o Senhor o falou.

Aqui esta falando que a casa de Yossef, ou seja, um descendente de Josef seria como uma chama e esta chama iria queimar a palha da casa de Esaú, e Esaú simboliza impiedade, muitos estudiosos dizem que simboliza Roma, ou o paganismo Romano. E os rabinos concluem desta passagem e interpretam que a casa de Jose seria uma referencia ao Messias filho de Josef.

Uma outra profecia que os rabinos referem-se também ao Mashiach Ben Yossef esta em:

Zacarias 9:9

Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém; eis que o teu rei virá a ti, justo e Salvador, pobre, e montado sobre um jumento, sobre um jumentinho, filho de jumenta.

Esta profecia de Zacarias fala de um Rei que é justo e Salvador e virá montado num jumento e este Rei é pobre.

Os rabinos falam que este Rei pobre montado num jumento é uma profecia sobre a vinda do Mashiach Ben Yossef.

E ainda há uma terceira profecia que está em:

Zacarias 12:10

Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e prantearão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito.

 

Esta profecia de Zacarias fala sobre alguém que vem, esta pessoa é transpassada, é morta e as pessoas prantearão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito. ( Unigênito significa literalmente “único gerado”.) E vários rabinos dizem que esta profecia é sobre o Messias filho de Josef .

Isaías 53:2-12

Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.
Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.
Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele à iniquidade de nós todos.
Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.
Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido.
E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca.

Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão.
Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniqüidades deles levará sobre si.
Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores.

Esta é uma profecia expressa sobre o sofrimento do Messias. O Talmud Masserret Sucá 52a diz que o Mashiach Ben Yossef ira morrer na guerra de Gog Magog e todos lamentam por sua morte.

Nós sabemos que Yeshua não morreu na guerra de Gog Magog, mas o interessante é ver que o próprio Talmud reconhece que o Messias é descendente de Josef e irá morrer e as pessoas irão lamentar pela sua morte.

De tudo isso que falei qual são as características do Mashiach Ben Yossef:

O Messias é chamado de Mashiach Ben Yossef. Esta profecia nós sabemos que Yeshua Há Mashiach a cumpriu, pois Ele era filho de Josef por isso os evangelhos dizem que Yeshua era chamado o filho de Josef.

Outra coisa nós vimos que o Messias era pobre e veio montado num jumento. Yeshua também cumpriu esta profecia, Ele era pobre e entrou em Jerusalém montado num jumento.

Nós vimos também que o Messias será transpassado e nos sabemos que Yeshua cumpriu esta profecia também. Suas mãos e seus pés foram transpassados.

E por sua vez Isaias 53, fala sobre o servo sofredor e tudo aquilo que lemos é sobre a vida de Yeshua. Basta você ler com atenção que vai verificar que Yeshua cumpriu tudo o que está ali descrito.

Um detalhe interessante que consta dos manuscritos do Mar Morto, no livro de Isaias no capitulo 53, mas não consta no livro de Isaias nos escritos massoréticos. É a frase:

“Depois do sofrimento a sua alma verá a luz”. Ver a luz depois da morte significa ressurreição. Yeshua também cumpriu esta profecia, pois Yeshua morreu e ressuscitou no terceiro dia.

Os Manuscritos do Mar Morto são uma coleção de centenas de textos e fragmentos de texto encontrados em cavernas de Qumran, no Mar Morto, no fim da década de 1940 e durante a década de 1950. 

Porções de todo o Antigo Testamento foram encontradas, exceto do Livro de Ester e do Livro de Neemias. Os Manuscritos do Mar Morto são de longe a versão mais antiga do texto bíblico, datando de mil anos antes dos textos massoréticos, que são usados atualmente.

Estão guardados no Santuário do Livro do Museu de Israel, em Jerusalém.

O Texto Massorético foi preservado no século VI, por um grupo de escribas Judeus de renome que tinham como objetivo preservar fielmente os textos considerados divinamente inspirados.

Esse texto foi usado para compor a Bíblia Hebraica e posteriormente como fonte de tradução para outros idiomas, as traduções de João Ferreira de Almeida vieram todas deste Texto Massorético.

No século XV, ao ser inventada a imprensa, Daniel Bomberg, um cristão de Antuérpia, Bélgica, realizou uma impressão do Texto Massorético em 1524 e foi usado também por Martinho Lutero ao traduzir o Antigo Testamento para o Alemão.

O Texto Massorético são a base universal para o que podemos chamar de “Bíblia” Judaica, que compõem os 39 livros do Antigo Testamento, porém em ordem diferente.

Segundo o Judaísmo ortodoxo, o Messias Ben Yossef será morto e depois aparecerá o Messias Ben David para então estabelecer o Reinado Messiânico.

Da mesma forma Yeshua veio como Ben Yossef, como o servo sofredor de Isaias 53, porem Yeshua voltará como o Messias Ben David, como descendente de David, ou seja, como Rei dos Reis e Senhor dos Senhores para estabelecer o Reinado Messiânico em Jerusalém.

Vou ler agora 2 passagens no Judaísmo Tradicional sobre o Messias e estas passagens se aplicam claramente na vida de Yeshua.

A primeira esta em Os dias de Mashiach, de Menahem Brod, pagina 101.

“Quando dizemos Mashiach, estamos nos referindo ao descendente de David que restaurará o Reino Davidico, e retificará o mundo. Oramos 3 vezes ao dia,e pedimos que rapidamente o Senhor faça o herdeiro de David,teu servo,prosperar.

“Este é o Mashiach que todos aguardamos, mas o Talmud, o Midrash e o Zohar mencionam um segundo Mashiach, um descendente de Yossef, que precede o Mashiach Ben David e é assassinado enquanto luta contra os inimigos.”

Zacarias 12:12-14

E a terra pranteará cada família à parte: a família da casa de Davi à parte, e suas mulheres à parte; e a família da casa de Natã à parte, e suas mulheres à parte;
A família da casa de Levi à parte, e suas mulheres à parte; a família de Simei à parte, e suas mulheres à parte.
Todas as mais famílias remanescentes, cada família à parte, e suas mulheres à parte.·.

Isto se refere à morte do Mashiach Ben Yossef, Sucá 52a, a Guemará Comentários Rabínicos + Mishná (Torah Oral) = Talmude relata que o Eterno diz ao Mashiach Ben David “Peça-me e eu darei a você as nações para a sua herança”.  Isto está no Sm 2:7 e 8

Proclamarei o decreto: o Senhor me disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei.
Pede-me, e eu te darei os gentios por herança, e os fins da terra por tua possessão.

Neste livro do Judaísmo Tradicional, esta explicando que existem dois Messias, ou duas vindas do Messias, Mashiach Ben Yossef e Mashiach Ben David. E isto é o que ocorre com Yeshua Há Mashiach.

Na sua primeira vinda ele foi assassinado, tal como acabamos de ler, mas Ele ressuscitou como lemos no texto do Mar Morto.

Mas ainda existe uma segunda vinda do Messias que ele voltará para reinar e não será servo nem sofredor, Ele voltará como Rei, como descendente do Rei David e estabelecera o Reinado Messiânico aqui na terra.

Em outras palavras isto é muito semelhante ao que ocorre com Yeshua, pois na sua primeira vinda ele foi assassinado, pois Ele é o servo sofredor, porém Ele morreu, mas ressuscitou.

Porém existe uma segunda vinda de Yeshua, e nós aguardamos por esta segunda vinda e Yeshua voltará para reinar, mas na segunda vinda Ele não era servo, Ele não será sofredor, Ele voltará como Rei. Ele voltará como descendente do Rei David para iniciar o Reinado Messiânico aqui na Terra.

Olha o que diz o Talmud, Sucá 52 a,

Ao Messias descendente de David, que em breve se revelará em nossos dias, o santíssimo Bendito seja lhe dirá: Peça-me qualquer coisa e eu lhe darei, como está escrito, Sm 2: 7,8.

Proclamarei o que diz o Eterno: Proclame isto como estatuto para lembrança: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei.
Pede-me, e eu te darei os povos como herança, e os fins da terra por tua possessão.

O que isto quer dizer? Hoje vou revelar a todas as criaturas, que você é meu filho, pede-me e te darei os povos como herança..

Então o tratado de Sucá no Talmud também fala sobre duas manifestações do Messias, e é isto que eu creio, Yeshua Há Mashiach, o nosso Jesus,

Ele veio, morreu como servo sofredor ressuscitou, mas Ele voltará como Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.

Falei muito sobre o Mashiach Ben Yossef, mas como se manifestará o Mashiach Ben David, o Rei Messias?

O Rabino Itzhak Shapira cita 2 rabinos ortodoxos que escreveram comentários sobre

o Livro de Daniel e eles explicam que

Daniel 7:13, 14

Eu estava olhando nas minhas visões noturnas, e eis que vinha com as nuvens do céu um como filho de homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e foi apresentado diante dele.
E foi-lhe dado domínio, e glória, e um reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído.

Este texto que lemos é o relato do Messias “e eis que vinha com as nuvens do céu um como filho de homem;”.

Quando lemos o livro de Mateus cap. 24:30, há uma menção expressa de que Yeshua voltaria nas nuvens, ou seja, o mesmo que diz o livro de Daniel.

Mateus 24:30

Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.

É interessante dizer ainda que o Rabino Itzhak Shapira fala ao comentar o livro de Daniel, que o Messias é a manifestação do Eterno é a essência do Eterno, é a alma do Eterno.

E isto se confirma quando lemos a Pechita (é a versão da Bíblia para as igrejas siríacass. é um dialeto do aramaico falado historicamente em boa parte Oriente Médio. O siríaco clássico se tornou um dos principais idiomas literários em todo o Oriente Médio do século IV ao VIII). em aramaico:

João 1:1

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

(No aramaico Aramaic New Testament 4º Edição Pag. 232) O Verbo que em Aramaico é traduzido como Palavra (Melta) significa “A palavra que é a manifestação, a essência e a substancia do Eterno”. 

João 1:14

E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai. ( Unigênito (Irridaia) significa o D’us 1 que se refere ao Eterno) “Como a Gloria do 1 que veio do Pai. E Yeshua falou eu e o Pai somos 1.

No sonho de Josef, todos se prostraram perante ele, a palavra prostrar-se, ou curvar-se deriva da palavra SHARAR que quer dizer adorar.

No inicio quando vimos no cap. 37 versículo 10 que era uma profecia messiânica, e nesta profecia todos irão se prostrar perante Josef, e o verbo usado é o Sharrar, esta profecia quer dizer que todos irão se prostrar para adorar o Messias.

Se só o Eterno pode ser adorado, como o Messias pode ser adorado?

Simples, pois o Messias é uma manifestação (Emanação) do Eterno. Como disse o próprio Rab Itssack Shapira o Messias é a alma do Eterno a NEFESH,a substancia,a essência do próprio Eterno.

 

י  וַיְסַפֵּר אֶל-אָבִיו, וְאֶל-אֶחָיו, וַיִּגְעַר-בּוֹ אָבִיו, וַיֹּאמֶר לוֹ מָה הַחֲלוֹם הַזֶּה אֲשֶׁר חָלָמְתָּ:  הֲבוֹא נָבוֹא, אֲנִי וְאִמְּךָ וְאַחֶיךָ, לְהִשְׁתַּחֲוֺת לְךָ, אָרְצָה. 10 And he told it to his father, and to his brethren; and his father rebuked him, and said unto him: ‘What is this dream that thou hast dreamed? Shall I and thy mother and thy brethren indeed come to bow down to thee to the earth?’

A palavra curvar-se deriva da palavra Adorar

No inicio da Parasha dizemos que: A Torá faz uma interrupção para relatar a história de Judá e sua nora, Tamar.

 A história de Tamar é fundamental para as futuras gerações de Israel. Sua importância em nossa história tem início quando Jacob abençoa seus filhos.

Jacob, à beira da morte, primeiro priva os filhos mais velhos de seus direitos: Rubem, o primogênito, por ter invadido a privacidade do pai. Simeão e Levi, pelo ato que cometeram contra a cidade de Sichem. Em seguida abençoa Judá, o quarto filho, do qual saíram reis e monarcas. Tamar, que entrou na família de Judá sobrenaturalmente, pois o filho que deu a Judá tornar-se-ia ancestral direto dos reis David e Salomão.

Judá foi visitar um homem de Adulan, onde viu a filha de Shua, o canaanita. Desposou-a, e ela deu à luz um filho que chamaram de Er. O segundo e terceiro filhos foram respectivamente chamados de Onan e Shéla.

Judá estava em Keziv quando Shéla veio ao mundo. Lá, Judá escolheu Tamar como esposa para o primogênito Er. “Er” significa “sem descendentes”.

Porque D’us estava descontente com ele, Er morreu sem deixar herdeiros. Judá disse a Onan, seu segundo filho: “Procure a mulher de seu irmão, aja como um parente próximo e tenha um filho em nome dele.”

Tal exigência obedece à lei hebraica do Levirat, que visa assegurar a continuidade da família. O solteiro tem a obrigação de casar com a cunhada, viúva do irmão, quando este morre sem deixar filhos.

Mas Onan sabia que os filhos não seriam considerados seus e, por isso, quando se juntava a Tamar, impedia que ela engravidasse, para não dar um filho a seu irmão.

O que fez desagradou ao Todo Poderoso e, por isso, morreu. Judá, então, diz a Tamar, sua nora: “Volte para a casa de seu pai e fique lá até que meu filho Shéla cresça e torne-se homem.”

Ainda assim, Judá temia pela vida de Shéla, já que seus dois primeiros filhos haviam falecido.

Tamar volta viúva e sem filhos para a casa do pai. Passaram-se os anos, Shéla cresceu mas seu sogro não a chamava. Diante disso, decidiu reagir.

A esposa de Judá, Shua, faleceu. Amenizada a sua dor, Judá resolve ir a Timna visitar os pastores, acompanhado de seu amigo Hira, o adulamita.

Tamar, avisada da ida do sogro a Timna, tira imediatamente as roupas de viúva e cobre-se com um véu, tornando-se assim irreconhecível. A caminho de Timna, parou numa bifurcação do caminho e lá sentou-se.

Ao ver Tamar, Judá pensou que fosse uma prostituta, pois ela cobria o rosto. D’us enviou um anjo que empurrou Judá em direção a Tamar. Dirigiu-se a ela, e propôs-lhe deitarem-se, esta perguntou:

– Se eu te aceitar o que ganho em troca?

– Mandar-te-ei um carneiro do meu rebanho – respondeu Judá.

– Aceito, com a condição de que me dês uma garantia até eu receber o carneiro.

– Que garantia posso dar-te? – prosseguiu Judá.

– O teu anel que é o selo, o teu cordão e o cajado que está em tuas mãos – foi a resposta de Tamar. Judá concordou.

Todas as palavras de Tamar continham sinais de profecia. Com as palavras: “seu anel (selo)”, ela profetizou que reis e nobres dela descenderiam. “Seu cordão” continha uma alusão aos San’hedrin (juízes) que colocam talit o tempo todo e que também seriam seus descendentes. “Seu cajado” referia-se a Mashiach que nasceria da tribo de Yehudá, de quem se diz:” Um ramo surgirá do tronco de Jessé, e das suas raízes brotará um renovo. (Isaías 11:1Yeshayáhu, 11:1).

Ao partir, Tamar retirou o véu que cobria sua face e tornou a colocar suas roupas de viúva. Estava grávida.

No dia seguinte, Judá mandou um amigo para entregar o carneiro e pegar seus pertences de volta. Não a encontrou. Ao perguntar pela mulher, a resposta era sempre a mesma: nunca se ouvira falar de uma prostituta, por lá.

Três meses mais tarde, Judá é informado através de viajantes que sua nora Tamar havia-se prostituído. E, ainda por cima, estava grávida! Enfurecido, Judá decide mandar matá-la. Porém, Tamar, ao ser levada de sua casa, manda um recado ao sogro: “É do homem a quem pertencem estes objetos que estou grávida!”.

Judá, ao ver seus pertences, arrepende-se imediatamente e reconhece sua culpa: “Tamar agiu melhor do que eu”, pensou, “pois fui eu quem não lhe deu meu filho Shéla.”

Assim, Tamar foi perdoada.

Tamar deu à luz gêmeos. Um deles, durante o parto, estendeu a mão para a parteira, que nela amarrou uma fita vermelha com os seguintes dizeres: “Este nasceu primeiro.” Porém, a criança rapidamente encolheu a mão de volta, e foi seu irmão que nasceu primeiro.

Deram-lhe o nome de Pérec, em português, “brecha”. Zérah, com a fita na mão, veio em seguida. Os gêmeos tornaram-se dedicados e corajosos como o pai.

Segundo a tradição, a esposa de Judá, (filha de Shua), andava sempre com intrigas contra Tamar.

Seu filho Er ouvia a mãe, e nem chegava perto da esposa. Dizem que um anjo o matou três dias após a cerimônia do casamento. Onan casou-se com Tamar imediatamente após a morte de seu irmão. Viveu um ano inteiro com Tamar, mas as intrigas da mãe continuaram.

Após a morte de Onan, Judá quis dar Tamar a Shéla, o caçula, mas a mãe se opôs, preferindo uma esposa canaanita para o filho. Ao ver Judá descontente, D’ us decide levar a esposa de Juda Bath-Sua, filha de Shua,.

Judá queria esperar a maioridade de Shéla, mas Tamar, que tinha dons proféticos, e conduzida por D’us para ser uma ancestral do Rei David, decidiu agir rápido. Desta forma, deixou brilhar a luz do Messias, Maschiach.

Estudar a vida de Josef é muito importante, pois traz muitas profecias sobre Yeshua. Mas lembre-se que ler a Torah, o Talmud, o Midrash sem Yeshua é o mesmo que você estar em um museu de arte cercado com as peças mais bonitas, as mais deslumbrantes do planeta, mas a luz do museu estão apagada e você não consegue apreciar nada. A Torah sem Yeshua é ler um livro na total escuridão.