InglêsPortuguês  | Hebraico

Parashat Emor (Fale!)  LV 21: 1-24 LV:23 LV = Vayikra

Beit HaDerekh

Parashat Emor (Fale!)  LV 21: 1-24 LV:23 LV = Vayikra

Levítico 21:1-24

Esta Parashat se inicia falando especificamente aos sacerdotes (Conim) e também ao Sumo sacerdote.

Todos eles deveriam manter um alto grau de pureza ao prestarem serviço ao Eterno.

Eles não poderiam ficar impuros com o contato com uma pessoa morta exceto de parentes próximos.

Também não poderiam casar-se com qualquer mulher, com uma mulher desonrada, não poderiam casar-se com mulheres divorciadas e outras regras também.

As regras asseguravam que os sacerdotes viveriam na máxima santidade.

Isto também nos serve de direção hoje, se nos servimos ao Eterno, devemos ser santos, pois o Eterno é santo (Kadosh).

O Eterno exige santidade de nós e não podemos viver de qualquer maneira e devemos buscar este mesmo padrão que o Eterno exigiu dos sacerdotes.

Eu queria me deter um pouco mais no capitulo 23 de LV, pois fala das festas bíblicas que são de suma importância e acho este dia ideal para isto por ser Shabat.·.

Levítico 23:1-44  

As festas são momentos que largamos totalmente as nossas atividades seculares para nos dedicarmos totalmente ao Eterno.

Por isso o feriado é chamado de YOMTOV (dia bom) por quê?

Pois é bom entrar na presença do Eterno para celebrar a sua graça e a sua fidelidade.

As festas representam uma parada para reflexão na nossa vida espiritual.

As festas representam um compromisso com o passado.

Uma festa traz a memória um evento que estava acontecendo com o povo de D´us.

Não só isto, mas as festas CONTEM PRINCÍPIOS, VALORES E BÊNÇÃOS ESPIRITUAIS para suprir as nossas necessidade nos dias de hoje.

Israel atravessou um deserto lá atrás, mas você pode estar também atravessando um deserto hoje.

O mundo no qual vivemos é um deserto tem dificuldades as quais devemos enfrentar, o mundo que vivemos esta controlado pelo maligno, forças contrarias ao Eterno governam varias nações.

Por isso o Eterno criou Oasis, pontos de parada que são as festas, para que tenhamos recursos, para que aprendamos e possamos chegar ao fim da viagem.

O mais importante é chegar ao fim, pelo caminho certo, não importa como você começou, mas o que importa é como você vai terminar.

E para isso D´us nos deu as festas.

 

Vamos então estudar estas festas: Tá animado?

  • Shabat

LV 23:3 Aqui cai por terra que o Shabat pode ser qualquer dia. A palavra é especifica NO SETIMO DIA. O Shabat não aponta somente para o descanso semanal, mas aponta também para o descanso eterno.

A Igreja católica assume que mudou o SABADO para o DOMINGO. Vejamos:

“O Papa tem poder para mudar os tempos, ab-rogar leis e dispensar todas as coisas, mesmo os preceitos de Cristo.” — Extraído de Pope NicholasDecretal de Translat, Episcopal.”, cap. 6.

“O Papa é de tão grande autoridade e poder que pode modificar, explicar ou interpretar mesmo as leis divinas… O Papa pode modificar as leis divinas visto seu poder não provir dos homens, mas de Deus, e age como vigário do Filho de Deus na Terra, com o mais amplo poder de ligar e desligar o rebanho.” — Extraído de “Prompta Bilbiotheca Canonica”, publicado em Roma, em 1900.

O Papa Nicolau em seu discurso de nº 96 declara:
“A vontade do Papa representa a razão. Ele pode dispensar a lei, e fazer do errado, direito, por meio de correções e mudanças das leis.”.

“O Papa está livre de todas as leis, de maneira que não pode incorrer em nenhuma sentença de irregularidade, suspensão, excomunhão ou penalidade por qualquer crime.”

Eusébio de Cesaréia, célebre bispo da Igreja Católica, considerado o pai da história eclesiástica, participante do Concílio de Nicéia, bajulador e biógrafo de Constantino, confessa:

“Todas as coisas sejam quais forem, que era dever fazer no sábado, estas nós as transferimos para o dia do Senhor (domingo)” 

“““ “Não o Criador do Universo, em Gênesis 2:1 a 3; mas a Igreja Católica pode reivindicar para si a honra de haver outorgado ao homem um repouso a cada sete dias.”.

“Deus simplesmente concedeu à Sua Igreja (Católica) poder para dispor qualquer dia ou dias que achar apropriado(s) como dia(s) sagrado(s). A Igreja escolheu o domingo, primeiro dia da semana e, no decurso dos anos, adicionou outros como dias sagrados.” 

“A Igreja Católica, por sua própria infalível autoridade, criou o domingo como dia santificado para substituir o sábado, da velha lei.” 

Algumas pessoas dizem que o Shabat é somente para os judeus, os israelitas, isto também esta errado visto que quando D´us revelou a Moises os 10 mandamentos,

Ele o revelou como sinal perpetuo estabelecido entre D´us e o seu povo, de geração em geração. Os judeus saíram do Egito acompanhados de inúmeros povos e ganharam a sua identidade no Monte Sinai com a revelação dos 10 mandamentos como esta em EX 19: 5 e 6 é aqui que o povo ganha uma identidade, a identidade do povo judeu é cunhada aqui aos pés do Sinai e sob a Lei de D´us.

A lei é que define quem é o povo de D´us e são aqueles que guardam as leis de D´us.

Quem é parte do Reino de D´us? São aqueles que guardam as leis do REI!

Como pode haver um membro do Reino que não guarda as leis do Rei?

Ou você acha que o nosso Reino não tem leis? Que é uma anarquia?

 

  • Lv 23:5 Pessach (Páscoa):

É uma celebração para comemorar a libertação do povo de D´us da escravidão no Egito.

A palavra significa PASSAGEM e vem de Passoar que significa passar por cima.

Isto se deve a ultima praga onde D´us manda que os israelitas marcassem os umbrais das portas com o sangue de um cordeiro e o anjo exterminador passou por cima das casas onde haviam esta marca.

Onde não houvesse esta marca o anjo levou a morte todos os primogênitos animais ou humanos.

Mas o verdadeiro significado da palavra para os judeus é LIBERDADE

Esta festa é comemorada com Paes sem fermento, pois tiveram que sair do Egito tão rapidamente que não tiveram tempo para esperar o pão fermentar. (Ex 12)

Outra coisa é que o fermento (Rametz) é o símbolo do mau, pois da mesma maneira que faz a massa do pão crescer, faz a maldade do coração do homem também crescer se não for contida. Nesta festa comemos pão sem fermento e tiramos todo o fermento de nossas casas, pois é um tempo de nos examinarmos e retirarmos o fermento de nossos corações.

No caso dos judeus messiânicos, não teria sentido comermos o cordeiro porque Yeshua é o cordeiro de D´us que tira o pecado do mundo (Jo 1:29) e já foi morto para a nossa redenção.

Mesmo que existisse templo nós não mataríamos nem comeríamos o cordeiro, pois é o sangue de Yeshua que expia (Capara) os nossos pecados. A ervas amargas continuam a serem consumidas.

No 15º dia de Pessach e por 7 dias inicia-se a festa dos Paes ázimos ou a festa dos Matzas, pois se deve comer matza por estes dias. LV 23:6.

No 1º dia e no ultimo dia há uma convocação sagrada (Ex 12:16) e devemos nos abster do trabalho diário.

Yeshua não instituiu uma Santa Ceia, a ultima refeição do Messias com os seus discípulos, ocorreu exatamente na festa de Pessach, foi ali que Yeshua proferiu as famosas palavras que estão em MT 26: 26-28, este é o meu corpo e este é o meu sangue. Que confirma a nova aliança, Ele aproveitou a festa de Pessach para mostrar que a matza e o vinho simbolizavam o seu corpo e o seu sangue.

Em Êxodo foi o sangue do cordeiro colocado nas portas que salvou o povo de D´us da morte dos primogênitos. Paralelamente Yeshua derramou o seu sangue para a remissão dos pecados daqueles que crêem nele. Yeshua é o cordeiro de D´us que tira o pecado do mundo.

A festa era celebrada corretamente, como foi ensinada por Paulo em (1Co5: 7-8).

E Yeshua determinou que fizessem isto em memória de mim, isto o que? A celebração de Pessach, os seus discípulos deveriam lembrar que a cada comemoração de Pessach, Yeshua é o cordeiro de D´us que tira o pecado do mundo.

Pessach é um ato memorial de sua morte e ressurreição.

Conclusão: Em Pessach nos comemoramos tanto a saída do nosso povo do Egito quanto à ressurreição de Yeshua, pois Ele é o cordeiro de D´us que tira o pecado do mundo.

 

 

  • Festa de Shavuot: (Semanas), Pentecostes LV 23:9-10  SANTIDADE.

 

Conta-se 50 dias e depois chega Shavuot, É uma festa que se comemora os primeiros frutos das colheitas dos cereais e também é o dia que o Eterno REVELOU (Ela já existia- Noé animais puros e impuros) a Torah a Israel no Monte Sinai (Arábia) e isto é muito importante, pois a Torah é à base da nossa fé.

E outra coisa importante é que foi na festa de Shavuot que os discípulos de Yeshua ficaram cheios do Espírito Santo. (At. 2: 1-4-14).

Resumindo: Nós devemos comemorar Shavuot:

 

  1. Pelos primeiros frutos da colheita
  2. Pela revelação da Torah
  3. Pela imersão no Espírito de D´us, Batismo no Espírito Santo (1 Co).

 

 

  • Festa de Rosh Hashaná ou Yom Teruá Festa das Trombetas (Lv 23: 23-25)

 

È uma festa de louvor ao Eterno, submissão ao REI e agradecimento recordando dos inúmeros livramentos que o Senhor nos concedeu.

A festa é aberta com o som do Shofar, e o som emitido pelo Shofar representa tanto a invocação dos exércitos celestiais do Eterno como o jubilo e o regozijo pela vitória do povo de Israel.

Muitos crêem que Yeshua voltará neste dia por causa de Sofo 1:14-16 e 1TS 4: 14-18.

 

 

  • Yom Kipur ou Dia do Perdão 10 dias após Rosh Hashaná ARREPENDIMENTO

 

É o dia que o povo de D´us busca se reconciliar com aquele que é o Juiz dos Céus.

É marcado por um Jejum de aproximadamente 25 horas, sem comer nada e sem beber nada, neste período há uma consagração absoluta ao Eterno, com a finalidade de orar, de meditar, de reconciliar-se com o próximo, de confessar os nossos pecados, de perdoarmos aqueles que nos ofendeu e de pedir perdão aqueles a quem nós ofendemos.

Yom Kipur é dia de arrependimento. YESHUA morreu por nossos pecados então devemos pedir perdão a ele todos os dias, mas existe um dia especial para se pedir perdão, um dia especial para se arrepender e este dia é Yom Kipur que temos que afligir a nossa alma com jejum absoluto.

 

  • Festa de Sucot (Cabanas ou Tendas) Festa dos Tabernáculos PROVISÃO

 

Nós habitamos durante 7 dias em tendas em cabanas celebrando os 40 anos que nosso povo habitou em tendas no deserto quando o Eterno os libertou do Egito. Lembramos que mesmo que nosso povo habitou em frágeis cabanas do deserto a provisão do Senhor nunca faltou.

O Eterno se manifestou como uma coluna de nuvem durante o dia para servir de sombra ao povo e a noite como uma coluna de fogo para aquecer o povo. No deserto durante 40 anos o Eterno fez descer do céu o Maná. (Mana é um grão para se fazer pão.) Brotou água da rocha para saciar a sede.

Se você perguntar a um Rabino qual foi o momento e que Israel esteve mais próxima de D´us, ele certamente responderá nos 40 anos no deserto.

Quando habitamos 7 dias em cabanas nós estamos demonstrando a nossa confiança em D´us que é o provedor de todas as coisas.

A festa de Sucot nos remete também a primeira vinda de Yeshua, pois existem vários estudos dizendo que Ele nasceu durante a festa de Sucot, (ESTE ANO DE 23 A 30 DE SETEMBRO).

Ele não nasceu em Dezembro.

Porque é a maior festa de Israel?

Esta é uma festa profética, pois quando Yeshua voltar, todos continuarão a celebrar esta festa conforme esta escrito em Zc 14:9 e 12- 16-19.  Este texto é de uma clareza solar para o que vai acontecer COM aqueles que não guardarem a festa de Sucot no reinado de Yeshua, receberão pragas. Esta festa vigorou, vigora e vigorará no reinado de Yeshua.

Isto demonstra como as festas bíblicas são importantes aos olhos do Eterno.

Esta festa dura 7 dias, mas no oitavo dia existe uma celebração Simrrá Torah alegria da Torah nós que seguimos a Torah temos que nos alegrar com a Torah e com Yeshua que é a Torah viva.

Eu não vou falar sobre a festa de Hanuká e Purim, pois estou compartilhando somente LV 23. Purim esta no livro de Ester, e Hanuká esta no livro de Macabeus e devemos comemora-las, pois Yeshua comemorou ambas, então devemos comemora-las só não vou analisa-las, pois não estão na nossa Parasha de hoje.

 

Conclusão: As festas bíblicas nos dão uma participação na Luz interior de D´us nos dando uma nova vida para a nossa mente e para a alma e aumentando a nossa percepção de Elohim.

A luz que nos recebemos nestas festas não é uma luz qualquer, a luz é Yeshua, pois Yeshua é a Luz do Mundo.

Devemos comemorar todas as festas bíblicas, pois estas festas tipificam a vida de Yeshua e são um Oasis no meio do deserto.

Em Pessach nos lembramos da morte e ressurreição de Yeshua,

Em Shavuot nós comemoramos a imersão dos discípulos no Espírito Santo,

Em Hosh Hashaná nos rememoramos o dia do julgamento, que é o dia do Eterno,

Em Yom Kipur pedimos perdão pelos nossos pecados, invocando o sangue derramado de Yeshua,

Em Sucot comemoramos que Yeshua tabernaculou, (habitou) entre nós.

Que a Luz de Yeshua possa brilhar em nós todas as vezes que comemorarmos estas festas.