fbpx

Parasha Ki Tavo – Quando entrares

Beit HaDerekh

כי תבוא Ki Tavo (quando entrares)
Dt. 26:1-29:9, דְּבָרִים
Is. 60:1-22,
Jo 13:1-15:27

Aqueles cujas boas obras excedem a seu conhecimento, mantêm o seu conhecimento; mas se seu conhecimento é superior às suas boas obras, sua alma não se manterá. Mas qualquer um que suas boas obras são mais que seu conhecimento, tal crescerá mais em conhecimento e boas obras. Qualquer um que seu conhecimento das escrituras não superar seus bons atos tanto seu conhecimento quanto seus feitos o destruirão.
Tratado Talmúdico Pirke Avot. Mishná capítulo 3, mishná 12

Deuteronômio 30:15 Vê que hoje te pus diante de ti a vida bem, a morte mal.16 Se guardares o mandamento que eu hoje trdeno de amar ao Senhor teu D’us, de andar nos seus caminhos, e de guardar os seus mandamentos, os seus estatutos s seus preceitos, então viverás, e te multiplicarás, Senhor teu D’us te abençoará na terra em que estás entrando para a possuíres. 17 Mas s teu coração se desviar, e não quiseres ouvir, e fores seduzido para adorares outros deuses, s servires, 18 declaro-te hoje que certamente perecerás; não prolongarás os dias na terra para entrar na qual estás passando o Jordão, a fim de a possuíres.19 O céu e a terra tomo hoje por testemunhas contra ti de que te pus diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, 20 amando ao Senhor teu D’us, obedecendo à sua voz, e te apegando a ele; pois ele é a tua vida, prolongamento dos teus dias; e para que habites na terra qu Senhor prometeu com juramento a teus pais, a Abraão, a Isaque e a Jacó, que lhes havia de dar.

Esta passagem define essencialment que D’us quer dizer com os termos “a bênção” e “a maldição” da Lei. A “bênção da Lei” é vida e bem; “a maldição da lei” é morte e mal, então é vida e bem versus morte e mal. 

É uma expressão comum entrs judeus dizer qu Torà é vida, ou seja, seguir a Torá traz a vida que D’us deseja dar a todos que n’Ele confiam. Por outro lado, NÃO seguir a Torá traz a morte, o oposto da vida, porque isso significa qu violador NÃO confia Nele.

Quando Yeshua morreu na cruz, ele não retirou os castigos de D’us aos seus seguidores, Ele retirou a condenação pela morte eterna.
Yeshua certamente não aboliu a morte FÍSICA por nós pelo menos no mundo atual.
Como vemos no Tanach (o Antigo Testamento), a grande maioria dos pecados cometidos contra o Senhor tinha algum tipo de punição associada, mas apenas alguns desses pecados invocavam a pena de morte (A maldição), e assim acontece com os discípulos nos dias de Yeshua.
De um modo geral, podemos e cometeremos pecados contra o Senhor, e às vezes experimentaremos a mão da disciplina de D’us na forma de punições divinas sobre nós.
Contudo, somos poupados da separação eterna de D’us.Os discípulos de Yeshua são poupados da pena de morte eterna, condenação espiritual, separação permanente de D’us, ou seja, a maldição.
A escolha oferecida aqui em Deuteronômio às 12 tribos de Israel por meio da Aliança Mosaica, é a escolha muito semelhantferecida pela Aliança renovada em Yeshua, isto é estar entre A bênção e a A maldição; ou, entre a bênção da vida e a maldição da morte.
Com essa introdução, vamos estudar juntos o capítulo 28 de Deuteronômio.

Deuteronômio 28 1 Suvires atentamente a voz do Senhor teu D’us, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu hoje trdeno, o Senhor teu D’us te exaltará sobre todas as nações da terra; 2 e todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, suvires a voz do Senhor teu D’us:

A primeira palavra do capítulo 28 é “SE”.
“SE” talvez seja a maior palavra da Bíblia em termos de impacto espiritual. O sentido é que “SE” Israel seguir os termos da aliança, ENTÃO D’us concederá Suas bênçãos a Israel.
O Convênio Mosaico é chamado de convênio condicional e é comparado ao pacto abraâmico que era um pacto incondicional.
Uma aliança incondicional (especificamente a Aliança Abraâmica) consiste puramente de uma promessa.
A Aliança que D’us fez com Abraão não foi baseada em SE Abraão fizer algo ENTÃO D’us responderá cumprindo Sua promessa. Pelo contrário, D’us prometeu uma série de coisas a Abraão porqu Eterno perguntou a Abraão se ele gostaria de ter essas coisas (que eram bênçãos) (Como parte da aliança D’us prometeu fazer de Abraão uma grande nação, e abençoar todas as famílias da terra através dele (Gn 12.2-3); dar a terra de Canaã aos seus descendentes, que seriam grandemente multiplicados)
e Abraão respondeu: Sim”.

A maneira mais lógica de entender a Aliança Abraâmica é como uma aliança unilateral; onde D’us faz tudo e nada é exigido do homem em troca. (Como parte da aliança D’us prometeu fazer de Abraão uma grande nação, e abençoar todas as famílias da terra através dele (Gn 12.2-3); dar a terra de Canaã aos seus descendentes, que seriam grandemente multiplicados)

Na Aliança Abraâmica a base está na graça de D’us.
D’us simplesmente a deu a Abraão como um presente gratuito, assim como Ele deu a salvação à humanidade como um presente gratuito; nosso dever é apenas aceitá-lo.

No entanto, o mesmo não se aplica à Aliança Mosaica. Uma boa analogia a uma aliança é um contrato. Todos nós entendemos contratos; nós os temos quando compramos ou alugamos uma casa ou um carro.
E a ideia é qu contrato seja uma série dbrigações mútuas. Se um lado falha em cumprir uma de suas obrigações contratuais, o resultado é uma punição.
Rarament contrato é anulado como penalidade por violação de um lado ou dutro. Uma vez que a aliança foi aceita por Israel, a violação da aliança significava apenas que certas penalidades seriam aplicadas como na maioria dos contratos.
Em troca das bênçãos qu Senhor ofereceu, Israel declarou que estava disposta a aceitar certas consequências (maldições) se falhassem em cumprir sua parte no acordo. O Pacto Mosaico não foi anulado porqus termos foram quebrados.

Em vez disso, algumas penalidades foram ativadas (naturalmente as penalidades eram estritamente do lado de Israel porque D’us nunca erra).

As bênçãos seriam concedidas a Israel por meio da obediência aos termos,ou haveria maldições consequentes por violar os termos.
A Aliança permaneceu intacta. Uma vez qu dom divino da Aliança foi ratificado por Israel (toda a congregação concordou com ela, assim como Abraão ratificou a aliança simplesmente concordando com ela), tudo o que restava era que seus termos se cumprissem com o tempo.

A diferença entrs dois convênios de Abraão e Moisés era que no de Abraão não tinha penalidades (nenhuma maldição) porque Abraão não tinha obrigações; mas o Pacto Mosaico tinha penalidades (maldições) porque Israel tinha obrigações.
A Aliança Mosaica está viva de fato, a Nova Aliança em Cristo é apenas a Aliança Mosaica renovada e escrita em nossas mentes (corações), com Yeshua como fonte de purificação e expiação para aqueles que aceitaram seus termos. E também com Yeshua como mediador da aliança renovada.

Na Bíblia, o coração é a mente, a fonte dos pensamentos. Há literalmente centenas de passagens na Bíblia que provam isso. Vamos ler algumas:

“E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.” (Gênesis 6:5)

“E o SENHOR sentiu o suave cheiro, SENHOR disse em seu coração: Não tornarei mais a amaldiçoar a terra por causa do homem; porque a imaginação do coração do homem é má desde a sua meninice, nem tornarei mais a ferir todo o vivente, como fiz.”(Gênesis 8:21)

“Então caiu Abraão sobr seu rosto, e riu-se, e disse no seu coração: a um homem de cem anos há de nascer um filho? E dará à luz Sara da idade de noventa anos?” (Gênesis 17:17)

Assim como um israelita não foi permanentemente removido da graça de D’us por pecar, também nenhum crente é permanentemente removido da graça de D’us por pecar.

Sob o convênio do Messias, temos obrigações? Muitos cristãos já reconhecem nosso dever de aderir aos 10 mandamentos e não só a 9.

Portanto, nossa Nova Aliança TEM obrigações e, portanto, NÃO está precisamente no molde da Aliança de Abraão.
Consider seguinte: se a Aliança Mosaica substituiu a Aliança com Abraão, e a Nova Aliança apareceu e substituiu a Aliança Mosaica, por que não poderia outra aliança futura substituir a Nova Aliança?

Certament povo hebreu não conhecia nenhum plano de D’us para tornar obsoleta a Aliança Abraâmica e nem a Aliança Mosaica. Eles sabiam qu pacto em operação deveria ser renovado, transformado e colocado em seus corações, mas não anulado.
Portanto, se aceitarmos a falsa noção de que D’us fez vários convênios no passado e, de tempos em tempos, repentinamente surgia um novo que anulava o anterior, por que não deveríamos desconfiar de qu Eterno repentinamente não faria uma aliança ainda mais nova que tornaria a Nova Aliança em Yeshua obsoleta?

A propósito, isso é essencialment qu Islã faz; eles dizem que creem em Yeshua, mas que Maomé foi o portador de uma mensagem ainda mais nova de D’us em vez de Yeshua.
Os Mormons dizem que eles têm uma aliança mais nova qu Novo Testamento, trazida a eles por seu profeta Joseph Smith, chamado Livro dos Mórmons, e que substitui o Novo Testamento.

D’us não cria convênios para sempre e depois os anula; isso não é o Seu padrão.
A Nova Aliança não anulou nem a Aliança Mosaica nem a Aliança Abraâmica, como determina a teologia de substituição.
A próxima coisa que notamos no versículo 1 é que a palavra hebraica shemá é usada para obter a atenção do público de Moisés.

וְהָיָה, אִם- שְׁמֹעַ תִּשְׁמַע בְּקוֹל יְהוָה אֱלֹהֶיךָ, לִשְׁמֹר לַעֲשׂוֹת אֶת-כָּל-מִצְוֺתָיו, אֲשֶׁר אָנֹכִי מְצַוְּךָ הַיּוֹם–וּנְתָנְךָ יְהוָה אֱלֹהֶיךָ, עֶלְיוֹן, עַל, כָּל-גּוֹיֵי הָאָרֶץ.

Shema SIGNIFICA ouvir bedecer. NÃO significa apenas ouvir. Shema é ouvir o que D’us tem a dizer e depois fazê-lo!

E o Senhor diz que, se Israel lhbedecer e cumprir fielmente Seus mandamentos, o Senhor dará a Israel privilégios acima daqueles dados ao restante do mundo a quem o Senhor também ama.
Ele diz que promete dar essas bênçãos a Israel como sua parte, se Israel fizer a sua : obedecer a Ele.
Existem 6 bênçãos no capítulo 28, focadas na prosperidade e fertilidade.
Deuteronômio 28 3 Bendito serás na cidade, e bendito serás no campo.4 Bendito o fruto do teu ventre, fruto do teu solo, fruto dos teus animais, e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas.5 Bendito o teu cesto, e a tua amassadeira.6 Bendito serás quando entrares, e bendito serás quando saíres.

A prosperidade e a fertilidade estão no coração da vida. O versículo 3 diz que, por ser fiel à aliança, Israel será abençoada na cidade e no campo.
Portanto, a idéia é que, em qualquer lugar Israel em sua totalidade será o receptor das bênçãos de D’us SE eles obedecerem às Suas leis e mandamentos.

A seguir, é conhecida como a bênção tripla do versículo 4. A idéia é que todo tipo de vida que seja boa, útil e permitida para uso pelos hebreus será abençoada em Israel: vida humana, vida doméstica e vida animal .
Continuando nesse sentido, o versículo 5 diz que, como resultado do fruto abençoado da terra, os vasos usados para coletar os produtos também serão abençoados (cheios) e as tigelas de amassar usadas para fazer pão serão abençoadas (sempre tendo bastante de grãos para fazer massa de pão).

Portanto, a ideia geral é uma abundância de alimentos.
6 Bendito serás quando entrares, e bendito serás quando saíres. בָּרוּךְ אַתָּה, בְּבֹאֶךָ; וּבָרוּךְ אַתָּה, בְּצֵאתֶךָ
b’rokh’ atah, vorkh vo rarov’ atah, b’tzet’k ra

O versículo 6 diz que “você ao entrar e ao sair” será abençoado. Na verdade, é uma frase usada para denotar atividade militar. Fala-se em sair para a batalha, alcançar a vitória e voltar para casa em segurança.
Ele se conecta diretamente ao versículo 7 sobre como o Eterno irá diante do exército de Israel e vencerá a batalha contra os inimigos de Israel antes mesmo de começar.

7 O Senhor entregará, feridos diante de ti, os teus inimigos que se levantarem contra ti; por um caminho sairão contra ti, mas por sete caminhos fugirão da tua presença.

E isso é traduzido por uma expressão hebraica de como um exército inimigo chegará com uma coluna organizada por uma única estrada, mas fugirá em todas as direções em pânico. O 7 não significa um sete literal, apenas significa “de todas as formas possíveis”.

8 O Senhor mandará que a bênção esteja contigo nos teus celeiros e em tudo a que puseres a tua mão; e te abençoará na terra qu Senhor teu D’us te dá.

No versículo 8, o Senhor encherá os celeiros com produtos e abençoará todos os empreendimentos dos israelitas. A idéia é qu trabalho de alguém será produtivo que alguém estiver tentando produzir terá fartura.
No entanto, no versículo 9 no meio do sermão de Moisés sobre todas as maravilhosas bênçãos reservadas para Israel, ele faz uma pausa e diz:

9 O Senhor te confirmará para si por povo santo, como te jurou, se guardares os mandamentos do Senhor teu D’us e andares nos seus caminhos.

Ele para de nomear todas as maravilhosas bênçãos e lembra a Israel os requisitos e condições necessárias para que isso aconteça: o Senhor declarará que Israel é Seu povo santo SE eles se mantiverem sob o comando de D’us.
Lembre-se que esse é um paralelo e uma conexão direta com o Sermão de Yeshua no Monte.
Isto pode ser uma ferramenta muito útil para mostrar a sua família o quão conectados estão os escritos da Torá e do Novo Testamento.

Veja esse padrão que acabamos de ler aqui em Deuteronômio, é o mesmo padrão utilizado por Yeshua para lembrar que as bênçãos que ele está pronunciando têm uma ressalva; é necessária a obediência aos mandamentos de D’us.
LEIA MATEUS 5: 1 – 20 Observe em ambos os casos como é um recital de bênçãos, e, em seguida, uma pausa para o Mediador lembrar que a benção depende da obediência. Lerei somente Mt 5:13-14

13 Vós sois o sal da terra; mas s sal se tornar insípido, com que se há de restaurar-lh sabor? para nada mais presta, senão para ser lançado fora, e ser pisado pelos homens 14 Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte; 15 nem os que acendem uma candeia a colocam debaixo do alqueire, mas no velador, e assim ilumina a todos que estão na casa. 16 Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.

17 Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir.18 Porque em verdade vos digo que, até qu céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido 19 Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, qus cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.

Essa OBEDIÊNCIA aos mandamentos de D’us é o preço para ingressar nesta aliança e permanecer nas bênçãos da aliança.
Como Paulo diz em Romanos 11:17 : Mas se alguns dos ramos foram quebrados, e você – uma azeitona silvestre – foram enxertados entre eles e se tornaram compartilhadores iguais na rica raiz da oliveira, 18 então não se vanglorie como se fosse melhor qus galhos! No entanto, se você se vangloriar, lembre-se de que não está apoiando a raiz, a raiz está apoiando você. 19 Então você dirá: “Ramos foram partidos para que eu fosse enxertado”. 20 Verdade, mas e daí? Eles foram interrompidos por falta de confiança. No entanto, você mantém seu lugar apenas por causa de sua confiança. Portanto, não seja arrogante; pelo contrário, fique aterrorizado! 21 Porque, se D’us não poupou os ramos naturais, ele certamente não poupará você! 22 Portanto, dê uma boa olhada na bondade de D’us e sua severidade: por um lado, severidade para com os que caíram; mas, por outro lado, a bondade de D’us para com você – desde que você se mantenha nessa bondade! Caso contrário, você também será cortado!
“SE” você se mantiver nessa bondade … caso contrário, você será cortado !! Mostre esta passagens de Dt 28,Mt 5 e Rm 11 para alguém que pensa qu AT está morto e que a obediência a D’us e as suas leis é coisa do passado e não tem lugar na vida do cristão.

Já qubedecer às ordens de D’us é legalismo e, portanto, deve ser evitado como uma praga. Faça isto, pois esta pessoa está de pé em uma ladeira extremamente escorregadia.
A primeira seção dos versículos 1-14 implica recitar as bênçãos que Israel receberia do Senhor. A maneira usual de Israel “ouvir” a D’us era aprendendo os mandamentos e as leis que Moisés lhes havia ensinado e depois fazendo-os!
Com muita freqüência, os cristãos modernos pensam que, para saber ao certo o qu Eterno quer de nós, precisamos de algum tipo de revelação espiritual . Frequentemente pastores pregam que temos que buscar a vontade específica de D’us.
As escrituras nos ensinam que quase tudo a respeito da vontade de D’us para nós já foi estabelecido na Palavra de D’us, e é por isso que precisamos buscar nas escrituras a maioria de nossas respostas.
Desculpe a franqueza, mas a esperança de muitos é geralmente encontrar uma boa brecha para evitar o que sabemos que não devemos fazer.

O restante deste capítulo trata do oposto de bênçãos, chamadas “maldições.
Uma boa maneira de pensar nessas maldições é como ameaças divinas.

De fato, os antigos Sábios, e mais tards Rabinos, deram um nome a אַזהָרָה esta lista de maldições em Dt 28: azharah, (Avisos)
E o aviso é que, assim como a obediência traz uma série bem definida de possíveis bênçãos sobre Israel, a desobediência traz uma série bem definida de possíveis maldições sobre Israel.

Não leremos sobre essas maldições pois são auto explicativas.( consults vers.15.)
Lembre-se de qu que está acontecendo aqui é que Moisés está reensinando as leis do Monte da Aliança no Sinai para a 2ª geração do Êxodo.

E expondo essas leis em um estilo de sermão. A geração do Êxodo agora está morta e enterrada.
Foi a primeira geração quuviu a voz estrondosa de D’us qus fez cair de joelhos e testemunharam a entrega da aliança a Moisés e declararam por unanimidade que tudo o que D’us disse eles fariam.
Trinta ito anos depois, Moisés agora está apresentando os termos dessa mesma aliança à 2ª geração e dizendo a eles que precisam prometer aceitar seus termos da mesma forma que seus pais.
Há um grande princípio aqui: cada um de nós não é redimido pelo que nossos pais e mães concordaram e fizeram, mas pelo que nós concordamos e fazemos.

Você pode ter sido criado no mais maravilhoso lar cristão, ir à igreja com seus pais, participar das orações e dos cursos, falar toda aquela linguagem cristã; mas isso não conta muito para a sua salvação pessoal.
Cada um de nós deve declarar nossa lealdade à aliança que D’us colocou à nossa disposição. Se não o fizermos, NÃO seremos membros da aliança e viveremos fora de seus termos. Foi assim para Israel, e ainda é assim para nós hoje.

As seis primeiras maldições são de natureza geral e são o exato espelho das seis bênçãos listadas nos versículos 1-6.
3 Bendito serás na cidade, e bendito serás no campo.
16Maldito serás na cidade, e maldito serás no campo.
4Bendito o fruto do teu ventre, fruto do teu solo, fruto dos teus animais, e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas.
18Maldito o fruto do teu ventre, fruto do teu solo, e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas.
5Bendito o teu cesto, e a tua amassadeira.
17Maldito o teu cesto, e a tua amassadeira.

O versículo 3 corresponde ao vs. 16: enquanto a obediência aos termos da aliança Mosaica traz bênçãos para você, quer você esteja na cidadu no campo, a desobediência traz maldições sobre você quer você esteja na cidadu no campo.
O versículo 4, fecundidade, corresponde ao versículo 18, sendo retida a bênção da abundância.
O versículo 5 corresponde ao versículo 17 e assim por diante.

Qual é a lição óbvia? Obediência e desobediência trazem resultados opostos.
A partir do versículo 20, as maldições são expandidas e tornadas mais específicas. Dependendo da sua tradução da Bíblia, três palavras descritivas são usadas para o que D’us fará para derrotar um israelita rebelde (ou uma nação rebelde de Israel) em tudo que eles tentam fazer:

20 O Senhor mandará sobre ti a maldição, a derrota desapontamento, em tudo a que puseres a mão para fazer, até que sejas destruído, e até que repentinamente pereças, por causa da maldade das tuas obras, pelas quais me deixaste.
a tradução que eu mais gosto de usar 2º é qu Eterno causará maldição, coação e confusão;( curse, coercion and confusion) e é porque todos começam com a mesma letra (“C”).
Isso reflete exatamente como o hebraico, porque a lista das três palavras descritivas em hebraico também começa com a mesma letra hebraica (um mem); e, assim como em inglês, o objetivo de fazer isso é torná-lo mais memorável. MENSAGEIRO MALAKH- MIGERET FARDO PESADO- MERUMAH CONFUSÃO -MEERÊ MALDIÇÃO
יְשַׁלַּח יְהוָה בְּךָ אֶת-הַמְּאֵרָה אֶת-הַמְּהוּמָה, וְאֶת-הַמִּגְעֶרֶת, בְּכָל- מִשְׁלַח יָדְךָ

A primeira consequência do versículo 3 é me’erah, que significa “maldição” no sentido de suportar uma calamidade. O segundo é mehumah e significa confusão e refere-se ao pânico causado pela guerra.
O terceiro é mig’eret; significa ônus, um fardo pesado. Traz consigo a idéia de frustração e incapacidade de progredir. O que isso significa abandonar o Senhor?

O que descobrimos quando vemos as punições de Israel em retrospecto é que, em geral, eles não pararam de adorar a D’us ou de reconhecer O Eterno como o D’us de Israel.
Não encontramos Israel dizendo: “D’us não existe” ou “vamos desobedecê-lo”. Em vez disso, SUTILMENTE, acrescentaram outros deuses enquanto se aproximavam do Eterno.
Eles distorceram as leis bedeceram às leis de que gostavam e ignoraram as que não eram convenientes.

O ponto é que abandonar D’us não significa que uma pessoa que um dia o adorou agora o renuncie completamente. Pelo contrário, significa que uma pessoa que concordou com os termos da aliança agora está quebrando esses termos.
Biblicamente, falar em abandonar D’us significa dar as costas a Ele; deixar dbedecer e seguir Seus caminhos. Significa afastar-se e fazer nossas próprias escolhas e aproximarmos das coisas do mundo que não deveriam ter lugar na nossa vida. Isso é o que significava há 3000 anos e é o que ainda significa hoje.

A partir do versículo 21, vemos três categorias de maldições que envolvem doenças, seca e guerra.
21 O Senhor fará pegar em ti a peste, até que te consuma da terra na qual estás entrando para a possuíres. 22 O Senhor te ferirá com a tísica e com a febre, com a inflamação, com o calor forte, com a seca, com crestamento e com ferrugem, que te perseguirão até que pereças.

A primeira categoria sobre a qual Moisés fala a Israel é pestilência, doença virulenta. Três palavras hebraicas (shahefet, שַׁחֶפֶת kaddahat קדדאת e dalleket דאלקט) são usadas para descrever as doenças humanas, mas o fato é que ninguém realmente sabe quais são os equivalentes hoje.

23 O céu que está sobre a tua cabeça será de bronze, e a terra que está debaixo de ti será de ferro 24 O Senhor dará por chuva à tua terra pó; do céu descerá sobre ti a poeira, ate que sejas destruído.25 O Senhor fará que sejas ferido diante dos teus inimigos; por um caminho sairás contra eles, e por sete caminhos fugirás deles; e serás espetáculo horrendo a todos os reinos da terra. 26 Os teus cadáveres servirão de pasto a todas as aves do céu, e aos animais da terra, e não haverá quem os enxote.

A seguir, no versículo 23 a 26 são auto explicativos e não vou comenta-los.
Mas o Eterno diz que as maldições contra Israel ficarão ainda piores. O número de soldados hebreus mortos será tão grande qus sobreviventes nem serão capazes de enterrá-los antes que seus cadáveres estejam sujeitos aos pássaros carniceiros e animais selvagens.

O versículo 27 começa então um tema Egito durant restante deste capítulo.
Moisés está começando a pintar um retrato daqueles horrores qu Egito experimentou, e que enquanto D’us poupou Israel das maldições do Egito e permitiu que apenas o Egito sofresse, ISRAEL sofrerá esses mesmos terrores se eles se rebelarem contra O Eterno.

27 O Senhor te ferirá com as úlceras do Egito, com tumores, com sarna e com coceira, de que não possas curar-te; 28 o Senhor te ferirá com loucura, com cegueira, e com pasmo de coração. 29 Apalparás ao meio-dia como o cego apalpa nas trevas, e não prosperarás nos teus caminhos; serás oprimido e roubado todos os dias, e não haverá quem te salve 30 Desposar-te-ás com uma mulher, porém outro homem dormirá com ela; edificarás uma casa, porém não morarás nela; plantarás uma vinha, porém não a desfrutarás. 31 O teu boi será morto na tua presença, porém dele não comerás; o teu jumento será roubado diante de ti, e não te será restituído a ti; as tuas ovelhas serão dadas aos teus inimigos, e não haverá quem te salve 32 Teus filhos e tuas filhas serão dados a outro povo, os teus olhos o verão, e desfalecerão de saudades deles todo o dia; porém não haverá poder na tua mão. 33 O fruto da tua terra e todo o teu trabalho comê-los-á um povo que nunca conheceste; e serás oprimido e esmagado todos os dias.
D’us amaldiçoará a mente das pessoas, de modo que elas sofram de demência. Os termos usados são loucura, cegueira e total confusão.

A palavra “cegueira”, não significa perda de visão. Significa que não será mais possível discernir e compreender sua mente será tão confusa que ninguém te entenderá.
É a presença de D’us que está sendo ameaçada. É uma condição muito semelhante qus que não creem em Yeshua enfrentarão pela eternidade.

Mas então, quando não pode ficar pior, o impensável acontece: exílio. O versículo 36 é um daqueles versículos misteriosos porque todo o tom de repente passa de hipotético (“Se você fizer isso, é isso que vai acontecer”) para profético “É isso que vai acontecer”.
36 O Senhor te levará a ti e a teu rei, que tiveres posto sobre ti, a uma nação que não conheceste, nem tu nem teus pais; e ali servirás a outros deuses, ao pau e à pedra. 37 E virás a ser por pasmo, provérbio e ludíbrio entre todos os povos a qu Senhor te levar.

Isso deixa de ser uma possibilidade para ser uma garantia; Israel será removido da Terra da Promessa porque eles se rebelarão contra o Eterno e sofrerão essas maldições.

Veremos Isaías e Jeremias citando especialmente essas maldições de Deuteronômio 28 primeiro para advertir Israel a mudar seus caminhos e depois para lembrá-los do porquê dessas calamidades.
Surpreende alguns saber que, devido à desobediência e à falta de fidelidade ao Eterno, Israel foi uma nação soberana apenas por cerca de 80 anos.

Sob os reis Davi e Salomão, Israel prosperou e as 12 tribos viviam sob uma bandeira.
Porém, três ou quatro anos após a morte de Salomão, Israel entrou em guerra civil e se dividiu em dois reinos,o Reino do Norte Reino do Sul.

O Reino do Norte também foi chamado de Efraim-Israel, Reino do Sul foi chamado de Judá.O Reino do Norte consistia em 10 das 12 tribos de Israel, e foi o que foi exilado primeiro.

Por volta de 725 a.C. o poderoso Império Assírio foi usado como ferramenta de julgamento sobrs hebreus pelo Eterno, s assírios completaram sua conquista do Reino do Norte.

Essas 10 tribos de EfraimIsrael foram removidas da terra e espalhadas por todo o vasto Império Assírio, e a maioria dessas pessoas foi absorvida pelas culturas da Assíria e perderam sua identidade.
É aqui que a lenda das 10 tribos perdidas começou. Cerca de 135 anos depois, houve um novo valentão no pedaço: Babilônia. Este foi o 2º exílio.

O terceiro e último exílio do povo de D’us foi no ano 70 d.C., porqus romanos tomaram Jerusalém e queimaram o templo.

O que vemos hoje no ressurgimento do moderno estado de Israel é o retorno do exílio romano do povo de Judá, o Reino do Sul. O Reino do Norte deve, de acordo com as profecias, retornar também e em um grau crescente e já está acontecendo.

Ser expulso da Terra Prometida NÃO foi o fim das maldições; as maldições os seguiam onde quer que fossem. Isso demonstra talvez uma das maiores lições que todos nós podemos aprender: não há como fugir de D’us e Jonas é um ótimo exemplo dessa lição.Leia o livro de Jonas, capítulos 1 e 2

O Eterno deu a Jonas uma tarefa de ir a Nínive e falar sobr D’us de Israel; ele não queria ir, então decidiu que iria fugir.
Na cabeça dele ele deixaria o território de Israel, onde O Eterno tinha poder, e iria para Társis, onde O Eterno não existia como autoridade espiritual.

Jonas NÃO estava renunciando ao D’us de Israel, estava apenas fugindo da jurisdição do Eterno (ou assim ele pensava).
No capítulo 2, fala da grande percepção de Jonas de que você não pode escapar de D’us porque Ele está em toda parte e Sua autoridade é universal.

Eu acho que Jonas nunca leu Deuteronômio 28.O Eterno estava deixando claro qunde quer qus hebreus pudessem ir, as maldições estariam com eles porqu Eterno ainda estava com eles. Eles ainda estavam debaixo da aliança.
Em Deuteronômio 28:43, outro aspecto das maldições sobre a vida dos israelitas é em relação as suas finanças.
Uma inversão completa de função está ocorrendo; os estrangeiros (que vieram a Israel com humildade e carência) agora se tornam mais ricos qus israelitas.

Além das doenças, trauma psicológico e privação, a próxima série de ameaças divinas envolve a conquista por outras nações. O resultado será fome, pobreza e servidão a essas nações e seus deuses.
A causa deste próximo grupo de maldições é a mesma de todas as outras categorias de maldições: Israel desobedeceu a D’us. Ou, mais literalmente, Israel não ouviu bedeceu.

Se eu tivesse uma varinha mágica sobre a igreja moderna e pudesse mudar algo, acho que eu reinseria a palavra “obedecer” em nosso meio. Muitas pessoas me explicaram que vêem a obediência como legalismo porque acreditam que tudo o que precisamos fazer desde a vinda de Cristo é amar.

O amor substituiu a obediência, assim como a Nova Aliança substituiu a Antiga. No entanto, as Escrituras dizem que amar a D’us é ser obediente a Ele. O versículo 46 nos traz outra referência ao tema do “Egito
45 Todas estas maldições virão sobre ti, e te perseguirão, e te alcançarão, até que sejas destruído, por não haveres dado ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para guardares os seus mandamentos, s seus estatutos, que trdenou.46 Estarão sobre ti por sinal e por maravilha, como também sobre a tua descendencia para sempre.47 Por não haveres servido ao Senhor teu Deus com gosto e alegria de coração, por causa da abundância de tudo, 48 servirás aos teus inimigos, qu Senhor enviará contra ti, em fome e sede, e em nudez, e em falta de tudo; e ele porá sobr teu pescoço um jugo de ferro, até que te haja destruído.

Moisés diz que essas calamidades nacionais e reversões de fortuna servirão como “sinal e maravilha” contra Israel por todo o tempo que eles não serviram a D’us.

É essa mesma frase que foi usada para explicar o propósito das 10 pragas no Egito. O que está acontecendo é que a redenção de Israel no Egito está sendo desfeita.

D’us está revertendo o status e a condição de Israel, e devolvendo-os ao Egito e à escravidão, porque Israel está rejeitando os termos da aliança quebrando-os.

Receber a bênção do Senhor e não ter alegria nela; receber redenção e não ser grato por meio da demonstração da obediência é convidar as maldições de D’us para a sua vida.

Que lição maior está sendo demonstrada aqui, senão isso?
Els tirou do Egito, s redimiu e deu a eles Sua Palavra, a Torá. Mas com o tempo eles rejeitaram Seu amor e Seus mandamentos, eles estão renunciando essencialmente ao D’us Todo Poderoso.
Portanto, mais uma vez seriam enviados para servir o inimigo como escravos, e perderiam o status privilegiado diante de D’us, bem como as bênçãos que estavam ali para serem tomadas como expressão da Aliança Mosaica.
Mas isso também levanta uma questão difícil com a qual a igreja luta há séculos e diferentes segmentos da igreja têm apresentado soluções diferentes. A questão é que, uma vez resgatados, podemos hoje voltar ao Egito?
Ou seja, uma pessoa que aceita o Messias Yeshua como Senhor e Salvador renuncia a essa lealdade tem sua salvação pessoal revertida?

Não há como negar qu Novo Testamento está repleto de avisos e exemplos de pessoas que declararam sua lealdade a Yeshua e depois a renunciaram ou se afastaram a tal ponto que se viram no Egito; o Senhor os lançou de volta à servidão ao maligno.
Você se lembra da parábola de Yeshua das sementes que eram uma metáfora para o Evangelho ser ensinado às pessoas?
Lucas 8:12-15 ” 12 Os que estão à beira do caminho são os quuvem; mas logo vem o Diabo e tira-lhe do coração a palavra, para que não suceda que, crendo, sejam salvos. 13 Os que estão sobre a pedra são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria; mas estes não têm raiz, apenas crêem por algum tempo, mas na hora da provação se desviam. 14 A parte que caiu entrs espinhos são os quuviram e, indo seu caminho, são sufocados pelos cuidados, riquezas, e deleites desta vida e não dão fruto com perfeição. 15 Mas a que caiu em boa terra são os que, ouvindo a palavra com coração reto e bom, a retêm e dão fruto com perseverança.

Existem dois elementos importantes para esta passagem: o primeiro é entender o que a frase “cair fora” significa que uma pessoa se tornou apóstata. Alguém não pode ser mais considerado entrs seguidores de D’us.
Afastar-se significa essencialmente deixar a fé de uma maneira ou dutra.
Romanos 11:22 Eis então a bondade e severidade de D’us; para aqueles que caíram, severidade, mas para você, a bondade de D’us, se você continuar na Sua bondade; caso contrário, você também será cortado.
Veja a natureza condicional do pacto mosaico. Se você continuar na Sua bondade ENTÃO, permanecerá como um galho na Oliveira. Nossa Nova Aliança é uma aliança condicional.

A condição NÃO é que devemos nos comportar perfeitamente; antes, é que DEVEMOS confiar e continuar a permanecer na fé OU seremos afastados da fonte de nossa fé, D’us.
Gálatas 5: 4 Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça decaístes. (Vocês que estão tentando ser declarados justos por D’us através da lei se separaram do Messias! Você se afastou da graça de D’us!)
Havia aqueles nos dias de Paulo (e existem hoje) que pensam que a obediência à Lei confiando no Messias é igual à Salvação. Isso não é verdade, pois um cancela o outro.

Se tentarmos misturar a autojustificação da obediência à Lei com a justificação de Cristo em nosso favor, então acabaremos sem nenhuma justificação.
NÃO confunda isso com sermos justificados por Yeshua e depois sermos obedientes a toda a Palavra de D’us.
Apocalipse 2: 4-5 Tenho, porém, contra ti que deixast teu primeiro amor. 5 Lembra-te, pois, donde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; e se não, brevemente virei a ti, e removerei do seu lugar o teu candeeiro, se não te arrependeres.

Remover a sua menorá é perder a iluminação. Yeshua é a nossa iluminação; e aqui ele está ameaçando se retirar do nosso meio.
Mas lembre-se de fato, nenhum homem e nenhum ser espiritual de qualquer espécie pode contra a sua vontade remover sua salvação em Yeshua.
Mas o próprio Yeshua diz que aqueles que O amavam e criam Nele no princípio, pararam por vontade própria, e voltaram ao pecado; eles perderam o amor por Ele.
1 Timóteo 4: 1 Mas o Espírito diz explicitamente que, mais tarde, alguns se afastarão da fé, prestando atenção a espíritos enganosos e doutrinas de demônios.

E aqui Paulo diz sem rodeios que, nos últimos tempos, alguns crentes cairão da fé.
A idéia de que, é impossível renunciarmos à nossa fé, é refutada nas Escrituras.
Certamente é verdade que NENHUM SER, humano ou espiritual, pode afastá-lo de Jesus contra a sua vontade. EXCETO se esse ser é você. Enquanto cada um de nós permanecer na fé e confiar em D’us, estaremos seguros e protegidos.
Cometer pecados NÃO é renunciar à nossa fé, NÃO é isso que está sendo expresso nesses versículos do NT.
Portanto, não saia daqui hoje, preocupando-se que, se você quebrou um mandamento de D’us, e corr risco de perder a sua Salvação.

Antes, renunciar à nossa fé significa negar expressamente nossa crença de que Yeshua é o Senhor. Essas passagens do NT que acabamos de ler indicam que somos aparentemente tão livres para renunciar à nossa fé quanto estávamos livres para aceitá-la.
Esses avisos do NT simplesmente seguem o padrão estabelecido em Deuteronômio; no meio de tudo que D’us fez por eles Israel se afastou de D’us e, portanto, os devolveu ao Egito.
Agora, a boa notícia é que quem foi redimido em Deuteronômio e renunciou à Sua fé PODE voltar ao seu juízo; Ele pode ser levado de volta a D’us. E PODE recuperar Sua redenção.
É claro que veremos o mesmo com Israel um pouco mais tarde no AT, mas no NT temos o apóstolo Tiago explicando:
Tiago 5:19 Meus irmãos, se um de vocês se desviar da verdade, e alguém faz com que ele volte, 20 você deve saber que quem desviar um pecador de seu caminho errant salvará da morte e cobrirá muitos pecados. Tiago, irmão de Jesus, diz que se um crente cair, ele corr risco de morrer.

Obviamente a morte eterna aqui é o contexto; e porque todos, salvos ou não salvos, são designados para que seu corpo físico morra uma vez. E Tiago diz que se alguém ajudar um ex-crente a retornar à fé, el salvará da morte eterna.
O versículo 49 de Deuteronômio continua com a profecia das maldições vindouras sobre Israel em sua queda inevitável.
Uma nação estrangeira atacará Israel rapidamente, em força e velocidade, e não mostrará piedade.
Deuteronômio 28 53 E, no cerco e no aperto com qus teus inimigos te apertarão, comerás o fruto do teu ventre, a carne de teus filhos e de tuas filhas, qu Senhor teu Deus te houver dado 54 Quanto ao homem mais mimoso e delicado no meio de ti, o seu olho será mesquinho para com o seu irmão, para com a mulher de seu regaço, e para com os filhos que ainda lhe ficarem de resto;
O versículo 53 diz que algumas pessoas ficam com tanta fome que comem seus próprios filhos. O versículo 54 explica que alem de comer os seus filhos ele também não vai querer compartilhar nada com sua própria esposa faminta!
A propósito, os dois cercos em Jerusalém registram que essas coisas horríveis realmente aconteceram.
Os versos finais dessa imagem doentia são da doença e do desperdício que resultam dos milhares de cadáveres que estavam empilhados como lenha na cidade sitiada.

Deuteronômio 28 68 E o Senhor te fará voltar ao Egito em navios, pelo caminho de que te disse: Nunca mais o verás. Ali vos poreis a venda como escravos e escravas aos vossos inimigos, mas não haverá quem vos compre.
No versículo 68, a reversão da redenção de Israel é concluída.

O Senhor enviará os sobreviventes (metaforicamente) de volta ao Egito. No passado, os senhores egípcios aceitavam Israel como escravos e pelo menos lhes davam uma subsistência; mas o Senhor D’us diz que desta vez o Egito nem os aceitará como escravos.
E apenas para que NÃO haja mal-entendidos, as últimas palavras do capítulo 28 confirmam qu pacto dado no Sinai e em Moabe é a mesma aliança

Deuteronômio 28 69 Estas são as palavras do pacto qu Senhor ordenou a Moisés que fizesse com os filhos de Israel na terra de Moabe, além do pacto que fizera com eles em Horebe.
Assim como os termos da Aliança Mosaica não mudaram entre Sinai e Moab, nem mudaram entre Moab e Calvário. D’us não fez uma aliança de “eternidade” no Sinai, revogou-a e deu uma nova aliança de “eternidade” em Moabe.

Ele também não deu-nos o que é comumente chamado de Nova Aliança revogando a anterior. Como posso saber disso? O Messias diz isso em Mt 5:13-14
17 Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir.18 Porque em verdade vos digo que, até qu céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido 19 Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, qus cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com