fbpx

BERESHÍT – No princípio

Beit HaDerekh

BERESHÍT      בְּרֵאשִׁית   No princípio       

GÊNESIS 1:1-6:8,
Is.42:5-43:l0,
Mt 1:1-2:23

Vou assumir que a maioria de vocês já tem o conhecimento básico deste capítulo; e não vou comentar sobre cada versículo, prefiro lidar com as questões mais difíceis de serem compreendidas.

A primeira coisa com a qual devemos lidar é com a palavra “Deus”,
O Deus verdadeiro nos é apresentado no primeiro versículo de Gênesis

A palavra hebraica que nossas Bíblias traduzem para “Deus” é Elohim.
Devemos entender que Elohim NÃO é o nome de Deus; que nos será apresentado muito mais tarde na Torá.

Em vez disso, Elohim é um título e é um título plural. A silaba IM no final da frase é sempre plural.

Assim, podemos ver essa incrível verdade e paradigma: Deus é um, mas Ele também é muitos. No entanto, há outro uso em hebraico do final “I-M” e é chamado de “plural de Majestade”.

Isso é adicionar o “I-M” no final de uma palavra também pode denotar grandeza em vez de pluralidade.

É um Deus um que consiste em múltiplas essências ou múltiplas manifestações. O próximo ponto é sobr primeiro dia da criação.

Há um debate entre cientistas e teólogos sobr que, ou quanto tempo, um “dia” foi no momento da criação.

E a questão é: “como Deus pode ter criado tudo em 6 dias e como os hebreus dizem que, contando as gerações, achamos que a Terra está chegando aos 6000 anos de idade, quando a ciência diz qu universo tem bilhões de anos …

”Bem, se dermos uma olhada no que é dito nas palavras iniciais do Gênesis, parte do problema parece se resolver.

Se você ler atentamente, verá que não se diz que a criação do céu e da terra ocorreu no primeiro dia; ao contrário, ocorreu no “começo”. O primeiro dia não foi o começo; o primeiro dia poderia ter sido muito tempo depois.

Se considerarmos literalmente essas palavras iniciais do Gênesis, o qucorreu no primeiro dia foi a criação da luz e sua separação das trevas.

Quanto tempo os céus e a terra ficaram lá sem vida, não nos disseram. Mas, em algum momento, Deus decidiu pegar o universo que Ele havia criado e despertá-lo com vida.

E ele começou esse novo processo criando luz, e foi quando encontramos o primeiro “dia”.Agora não há absolutamente nenhuma razão para tentar defender o uso da palavra “dia”. As pessoas dizem: ”para Deus, um dia é como mil anos”.

Isso é simplesmente uma alegoria que significa que Deus vive em um lugar sem tempo, NÃO que durante a criação a duração de um período chamado “dia” fosse de 1000 anos.

E não há provas de qu primeiro dia seja significativamente diferente em duração das 24 horas atuais. Um dia inteiro ainda tinha 24 horas e uma semana ainda tinha sete dias.

Agora observe algo estranho: no primeiro dia, Deus disse que criou a luz. No entanto, foi no quarto dia que Deus criou o Sol, ou como a Bíblia coloca, “a luz maior para governar o dia”.

Como Deus iluminou a Terra no primeiro dia, mas não criou o Sol até o quarto dia? Dnde veio essa luz se não havia sol?

Isso fica interessante: nos versículos 3 e 4, a palavra hebraica para “luz” é “(  אוֹר oor)”. Esta palavra NÃO significa um objeto que emite luz, pelo contrário, significa iluminação.

Quando a Bíblia diz que Deus é luz, diz que Elohim é “oor”. Esta palavra está intimamente associada à vida, à alegria e ao bem. De fato, quando lemos sobr primeiro dia, notamos que D’us diz que criou a luz, e viu que era bom ( טוֹב tov).

Então esta luz foi separada das trevas. Somente a luz é chamada de “boa”, as trevas não.

Agora vamos passar para o versículo 14, quando fala sobre a existência de luzes no céu para dividir dia e noite.

Vemos que uma palavra completamente diferente é usada para “luz” aqui, do que a usada nos versículos anteriores.

Aqui, a palavra hebraica é “maorot”. מאורות Luminares. M‘or significa um objeto que emite luz (maorot é plural) .

Quando Deus criou “as luzes”, “maorot” (plural) Ele criou objetos que emitem ondas de luz.

Em Apocalipse, vemos que quando Deus destrói a terra e cria uma nova, não haverá mais maorot (objetos que emitem luz), mas Deus será nossa luz.

É essa “luz divina” que está sendo mencionada aqui nos versículos 3 e 4, utro tipo é mencionado nos versículos 14-16.

Por outro lado, vamos olhar para a palavra “Trevas,escuridão”. No hebraico esta palavra é “ arrocher  חוּשְׁךָ “. Na cultura hebraica, essa palavra arrocher carrega o sentimento de cegueira, miséria, falsidade e ignorância.

Esta não é uma palavra que é o oposto do dia.Em hebraico, a noite é לַיְלָה  lay’lah … uma palavra completamente diferente do que  arrocher  que é de natureza negativa e carrega más conotações espirituais.

Noite, lay’lah, é o oposto do dia e não tem sentido negativo ou espiritual.

EU não vejo razão para não sugerir que a luz de Gênesis que estava no 1º dia da Criação é a mesma luz que está no 1º dia da NOVA criação, conforme revelado em Apocalipse 21 e 22.

E também é interessante que a contrapartida espiritual da luz, que é a escuridão, trevas, arrocher esteja ausente na nova criação. Em seu mais puro sentido espiritual, luz é bondade e trevas são maldade.

Agora, no versículo 20, são feitas algumas afirmações para as quais quero enfatizar :

Fala de criaturas que nadam na água e pássaros voando no ar. O Senhor povoou os oceanos com criaturas gigantes do mar e proclamou todas essas criaturas como BOAS.

No versículo 24, ele continua falando de criaturas terrestres de todos os tipos inclusive incluindo coisas rastejantes, como lagartos.

E Ele também declara que estes são bons. Enfatizo isso porque, mais tarde, na Torá encontraremos Deus enumerando várias dessas mesmas criaturas que Ele nomeou aqui; como Impuros.

E também veremos que muito antes da Torá ser dada a Moisés, as designações limpas e impuras de seres vivos criados já existiam. Como é que algo pode ser BOM e impuro?

Os princípios bíblicos básicos de limpo e impuro têm sua base aqui no primeiro capítulo de Gênesis.

Em seguida, temos uma declaração de que nós, como seres humanos, somos feitos à imagem de Deus.

Primeiro, diz que Deus criou a humanidade que foi o homem e a mulher que Ele criou; segundo, que todos os humanos foram criados à sua imagem.

Mas o que significa ser feito à imagem de Deus? Isso significa que recebemos certos atributos que Ele possui. No entanto, também sabemos que não temos todos os seus atributos, porque, s tivéssemos, seríamos deuses.

Antes, Deus, que valoriza todos os tipos de criaturas vivas que Ele criou, tornou o homem único entre todas essas criaturas. Soment homem tem a capacidade de conhecer a Deus. E essa capacidade vem por meio do atributo espiritual do homem.

Os animais podem ter corpos e podem ter cérebros. Eles podem até ter algo parecido com emoções, Mas apenas os humanos entre todas as criaturas vivas de Deus têm espíritos. E são nossos espíritos que permitem a comunhão com o Deus vivo.

Aqui descobrimos dois fundamentos importantes:

1) que Deus abençoou e santificou um dia da semana, o sétimo dia  e

2) que Ele descansou naquele dia, para que tudo o que Ele havia criado pudesse produzir e reproduzir novamente. .

A primeira parte disso é bem direta; Deus criou tudo em 6 dias. Estava completo após 6 dias. Não havia mais nada para criar após 6 dias.

Então Ele declarou o sétimo dia como santo E abençoou naquele dia. El separou tornou diferente de todos os outros dias.

Veja qus hebreus atribuem um nome apenas a um dia da semana, o sétimo. Eles o chamam de Shabat, do qual obtemos nossa palavra “sábado”. Nos outros dias da semana, eles atribuem apenas números primeiro dia, segundo dia, terceiro e assim por diante.

Agora, vamos dar uma olhada na palavra que normalmente é traduzida como “descanso”, como em “Deus descansou no sétimo dia”.

A palavra hebraica usada é Shabat. A palavra Shabat. Significa cessar, parar. O descanso pode ser o resultado, mas não é realment significado da palavra.

Em Gênesis a palavra Shabat significa cessar porque a criação foi concluída.No entanto, Deus não criou algo que precisava ser constantemente recriado. Ele criou algo que poderia produzir e reproduzir novamente sem mais intervenção direta.

É por isso que Yeshua nos diz para recebe-lo como Salvador e depois “descansar Nele”. Quando somos recriados como um novo ser estamos 100% completos.

Precisamos cessar nossas más obras humanas para nos tornar aceitáveis ​​a Deus, para sermos santos, porque tudo o que precisava ser feito em nosso favor para se tornar aceitável a Deus foi completado exatamente como a própria criação foi completada.

Mas há também algo muito especial nesse sétimo dia; é abençoado e santo. O Shabat é um dia muito especial, um dia santo, no qual o Eterno se deleita. Deus disse que El consagrou. Isso significa que El separou completamente de qualquer outro dia.

Há uma autoridade e apenas um que pode consagrar, que pode declarar algo santo; o Deus todo poderoso. A santidade é realizada exclusivamente pelo decreto de Deus.

O sábado NÃO foi primeiramente concedido a Israel, através de Moisés, no Monte Sinai. Observe que aqui em Gênesis Shabat é o nome real para um dia específico da semana.

Shabat é o nome do sétimo dia que Deus separou como santo. No entanto, o nome também incorpora seu propósito. Uma das razões muitas vezes apontadas pelas quais a Igreja não observa o Shabat é porque pensam qu sábado foi dado a Israel e, portanto, é SOMENTE destinado a Israel.

Ou é ensinado qu Shabat era simplesmente parte das Leis de Moisés; isto é, a observância do sábado foi ordenada no Monte Sinai logo após Israel deixar o Egito.

Por volta do final do século II dC, tornou-se um objetivo da igreja agora dominada pelos gentios abandonar qualquer coisa que aplicasse ao povo judeu; eventualmente, no século IV, a igreja aboliu oficialment Shabat.

Para comprovar o que estou dizendo,basta  ler os documentos da igreja das várias reuniões dos conselhos ecumênicos convocados pelo imperador Constantino;

Leia especificament documento do Concílio de Laodicéia, Cânone 29, estabelecido na metade do século IV dC, e você descobrirá que a Igreja declarou explicitamente qu sábado era um dia santo judaico e, portanto, a igreja não deveria participar.

O conselho decidiu que seria melhor encerrar o “guardar o sábado” e começar uma nova observância que deveria ocorrer no dia da semana em qu Messias resurgiu: o primeiro dia da semana, Domingo, Sunday,dia do Sol.

E, o culto comunitário deveria ocorrer em um NOVO dia, o primeiro dia da semana  que já era o dia padrão de reunião para adorar o deus mais amplamente aceito do Império Romano, o Deus do Sol.

Portanto, o que a maioria da igreja institucional pratica há 1700 anos NÃO é um sábado que foi movido do 7º dia para o 1º dia; pelo contrário, é uma celebração totalmente diferente, estabelecida pela Igreja Romana no Concílio de Laodicéia em 364 dC, sob a direção do então imperador de Roma, Constantino.

Para resumir, descobrimos que, na realidade, Deus estabeleceu o Shabat imediatamente após o término de Sua Criação, como acabamos de ler muito antes de existir sequer um judeu,um israelita.

Portanto, qualquer que seja sua doutrina , entenda qu sábado NÃO era algo reservado  somente aos judeus ou somente a Israel.É simplesmente anti biblico dizer qu sábado foi primeiramente concedido a Israel.

Foi dado à humanidade em geral imediatamente após o término da criação.Pois não existia um único judeu na face da terra.

Após o  Dilúvio, porque a humanidade se tornou novamente tão perversa e pagã, aparentemente apenas alguns humanos continuaram a honrar o sábado de Deus, então Deus achou necessário restabelecer a validade do sábado para a humanidade.

De fato, Deus queria restabelecer todos os Seus princípios que sempre existiram; e Ele escolheu separar um grupo de pessoas, uma nação especialmente escolhida, que Ele usaria para servi-Lo e alcançar esse propósito; essa nação era Israel.

Uma das muitas coisas que Deus disse a Moisés para fazer era trazer de volta a adoração no Shabat. Observar o Shabat, o sétimo dia, foi um sinal daqueles que eram membros da congregação de pessoas que confiavam em Deus.

A observância do sábado era um indicador daqueles que tinham lealdade a Deus. Por sua vez, essa observância também indiciou todos aqueles que Deus declarou como santos.

Gostaria que você prestasse atenção especial em algo que é fundamental, mas não tenho certeza de que voce já ouviu falar. Faz parte de um padrão que será repetido em toda a Escritura e no Novo Testamento.

E essa é a importância da direção “leste” na Torá. O Oriente tem um grande significado espiritual e quase sempre é associado à santidade, e é uma chave para obtermos um conhecimento mais profundo das verdades de Deus.

Você vê que no versículo 8 Deus plantou um jardim na parte leste do Éden? Preste atenção: o Jardim do Éden não é a mesma coisa que a Terra do Éden, ou apenas o Éden.

A Terra do Éden é uma grande área, com limites definidos. O Jardim do Éden é uma área específica e separada (também com limites) localizada DENTRO da Terra do Éden.

De fato, nos disseram qu Jardim foi colocado em algum lugar na partriental da Terra do Éden e foi no meio do JARDIM que a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal e a Árvore da Vida foram plantadas.

Deus diz a Adão que neste fabuloso jardim, que suprirá todas as necessidades de Adão, ele é livre para comer o que quiser; no entanto, ele deve considerar o fruto da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal como a própria morte.

Nota: Eva ainda não existia quando esta instrução foi dada. Foi dado a Adam e ele tinha a responsabilidade de realizá-lo e garantir que ela o fizesse também.

Vamos considerar Adam; ele não foi criado dentro do jardim, ele foi criado fora do jardim e posteriormente colocado nele.

Como diz o versículo 15: Gênesis 2:15 Então o SENHOR Deus tomou o homem colocou no jardim do Éden para cultivá-lo e guardá-lo.

Adão é uma palavra hebraica que significa “homem” ou “humano”. Também é a palavra raiz da cor “vermelho” e da palavra “terra” ou “solo”. Em hebraico, a palavra terra (isto é,pó, solo) é Adam-ah.

Dentro do jardim era onde residia a árvore da vida. A vida, no sentido aqui, significa vida real … a vida que Deus pretendia para o homem … uma vida santa, uma vida eterna.

Então Deus troux homem de um bom lugar (a Terra do Éden) para um lugar melhor (o Jardim do Éden perfeito).

Um lugar de relacionamento muito próximo com ele. O jardim era um lugar sagrado; Assim como o Céu, nenhuma imperfeição poderia viver ali, nenhum pecado poderia poluí-la. E é exatamente isso que Deus quer fazer conosco;

Ele quer nos trazer de um lugar que PARECE suficiente  para nossas necessidades e nos estabelecer em um lugar santo. Ele quer uma conexão conosco que é quase fantástica demais para compreender: Ele quer habitar dentro de nós.

O Jardim do Éden era um modelo terrestre do Céu, uma sombra física e padrão da eternidade não física, espiritual e verdadeira morada de Deus. E veremos qu Jardim do Éden acabou se tornando o modelo dutro Lugar Santo: o Tabernáculo do Deserto.

Isso não é especulação; é enfaticamente declarado nas Escrituras. Quando olhamos para o modo como Deus inseriu a vida em Adão  vemos que Deus inseriu  le chayim    חַיִּים

Adão a princípio era um corpo; uma coisa inanimada formada do pó da terra. Para se tornar um ser vivo, e mais especificamente um ser humano, ele teve que ser injetado com vida. E essa vida, chayyim, foi realizada por meio de Deus soprando sobrenaturalmente nele.

A palavra hebraica usada para respirar  é naphach e é uma palavra raiz que é boa para nós entendermos melhor.

Foi algo que de fora do reino físico, de fora do Universo tridimensional em que vivemos que trouxe a vida. Deus é a fonte da vida; a vida está em Deus, a vida é um dos seus atributos.

Uma das palavras mais comuns que encontramos nas Escrituras é “alma”. E interessante é que “alma” é traduzida da uma palavra hebraica nefesh. נֶפֶשׁ

Usamos essa palavra nefesh para indicar um ser humano. Assim, os primeiros eruditos judeus reconheceram que a condição de “vida” vem de Deus.

Outro item de interesse sobr versículo 7:diz que Deus soprou o sopro da vida em Adão … o neshemah chayyim; nish’mat, sopro,respiração e chayyim, vida.

Chayyim é um substantivo masculino plural, assim como Elohim é uma referência a Deus. O I-M no final de chayyim torna a palavra plural, assim como Elohim no plural. O singular da vida é “chay” … ..chayyim menos o I-M.

Então, por que não traduzimos essa frase curta como “o sopro da VIDAS” … Plural …. em vez de “sopro da VIDA” … .. singular? Bem, assim como o uso de Elohim sugere que Deus é um, mas também é plural,  chayyim nos dão uma dica de que há mais de uma “vida” sendo colocada em Adão.

Os hebreus deram um nome a uma essência invisível dentro dos homens, essa palavra é Ruach HaKodesh; ruach significa vento ou respiração, mas refere-se a essa essência especial e única que conecta o homem a Deus.

O que separa os homens dos animais, ambos tendo nefesh, é a nossa capacidade como humanos de se comunicar com Deus e conhecer Deus.

Essa habilidade única vem da vida espiritual, que é um pouco diferente da vida da alma. A vida da alma é o que nos dá animação … vida básica. Deus é espírito e a maneira como comunicamos com Deus é por meio do espírito.

O homem tem um espírito e nenhum outro ser vivo tem; isso ocorre porque, embora os animais tenham vida da alma, eles não têm comunhão com Deus, porque isso acontece apenas através da vida espiritual, e a vida espiritual é apenas os seres humanos possuem.

Então Deus determina que Adão precisa de um companheira e Ele cria uma para ele. Em hebraico, uma mulher, é chamada “ishah”, e um “ish” é um homem.

O final “ah” significa “fora de”; então ishah significa um ser humano fora do homem (ishah também é a mesma palavra para “esposa”).

Rapidamente, no versículo 24, é introduzido o conceito de casamento, bem como o princípio MAIS importante do casamento, que é que um homem e uma esposa devem ser considerados como se fossem uma só carne; aos olhos de Deus eles estão organicamente e espiritualmente interconectados.

Este é o plano de Deus. Um homem e uma mulher devem se unir no casamento como um só carne; nenhum macho com macho ou fêmea com outra fêmea.

Gênesis 2: 23 E o homem disse: “Agora é osso dos meus ossos, e carne da minha carne; ela será chamada mulher, porque foi tirada do homem”. 24 Por esta causa, um homem deixará seu pai e sua mãe, e se apegará a sua esposa; e eles se tornarão uma carne.

Há uma razão pela qual um homem e uma mulher formam um casal e não apenas duas pessoas e é afirmado aqui: o motivo é ‘ela é osso dos meus ossos, carne do meu corpo’. carne ‘ tirada do homem.

Uma mulher, sendo que seu próprio título é ishah, significa  “do homem foi tomada. Um homem não saiu dutro homem. Outro homem não foi produzido a partir da costela de Adam. Era uma mulher e ponto final.

E Satanás, chamado Lúcifer quando residia no céu, se rebelou contra Deus e foi lançado na terra por essa rebelião. Então, aqui na história da expulsão da Serpente do Jardim, temos essencialmente a mesma história, só que, em vez dcorrer em um ambiente espiritual (Céu), está ocorrendo em um ambiente físico; o Jardim do Eden.

Nós temos a serpente, uma criatura muito especial … diferente de todas as outras criaturas vivas … andando na vertical no jardim, vivendo na presença de Deus. Então ela se rebela e sua forma muda e ela é expulsa do Jardim,ou seja um paralelo completo de Lúcifer sendo expulso do Céu.

Satanás começa seu ataque dizendo a Adão e Eva que Deus é um mentiroso. No versículo 3, depois que Deus instruiu Adão que se ele comer da Árvore do Bem e do Mal, ele morrerá, a serpente diz: “Não morrereis!” Como resultado de tal blasfêmia a serpente é expulsa do jardim.

Mais do que isso, ela é jogada no pó, de modo que agora deve rastejar de bruços. Satanás foi primeiro expulso de um reino espiritual,  e exilado no reino físico da terra (em hebraico, a palavra terra, solo é “Adam-ah”). אֲדָמָה

Em seguida, a serpente foi lançada para fora do jardim e amaldiçoada a engatinhar de bruços no “Adam-ah”, o pó do chão. Este evento da ingestão não autorizada de Adão e Eva da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal  chama de Queda do Homem

Agora, muito interessante, os rabinos judeus da antiguidadlham para esse evento com uma percepção um pouco diferente.

Foi naquele momento em qu pecado entrou no mundo, tornou-se parte de nossa natureza humana, parte de nossa fibra e talvez até de material genético. E como resultado de nossa natureza pecaminosa, morremos não apenas fisicamente, mas também espiritualmente.

Portanto, precisamos de um Salvador; Alguém que nos libertará, resgatará e restaurará uma condição igual à que Adão era antes de pecar.

Os judeus, por outro lado, veem o que aconteceu no Jardim como uma espécie de libertação. Ou seja, agora o homem recebeu a capacidade e a responsabilidade de fazer escolhas.

Antes do ato de rebelião de Adão e Eva, eles simplesmente fizeram o que Deus disse …… quase roboticamente na visão de muitos Sábios, porque não havia outra escolha.

Com a introdução do mal pela serpente, a humanidade ganhou um tipo de liberdade; agora podemos escolher por nós mesmos se devemos amar a Deus bedecê-Lo ou seguir nossos próprios caminhos enganosos, infectados e fazer o que quisermos.

Observe no verso 24 que Deus fez roupas de pele de animal para Adão e Eva. Por que peles de animais para roupas? Eles já haviam feito roupas de vegetação para si mesmos e isso deve ter funcionado.

Mas, isto não foi o suficiente para Deus, e isso ocorre porque Adão e Eva fizeram suas próprias coberturas, e não Deus (o homem não pode criar sua própria cobertura para o pecado).

Aqui vemos os resultados finais do primeiro sacrifício de sangue na Bíblia. Onde você consegue uma pele de animal? De um animal morto.

Esses animais cuja pele foi usada para vestir Adão e Havah (Eva) não morreram de velhice; eles foram mortos.

Aqui temos outro princípio fundamental de Deus: o único pagamento adequado pelo pecado é o derramamento de sangue inocente. O sangue derramado era uma cobertura para o pecado do homem.

É daí que vem a noção de qu sangue é uma cobertura; a pele desses animais “cobria” a nudez de Adão e Eva, o seu pecado, pecado que ele cobria era, neste caso, a rebelião de roubar a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, e agora o pecado vivia neles.

E, quando Havah mentiu e disse à serpente que ela não podia nem tocar naquela árvore, ela ainda não havia comido o fruto. Ela ainda não havia adquirido o conhecimento do bem e do mal.

Então, se era a mentira de Adão ou a mentira de Havah, dnde veio a noção de mentir se a Queda do Homem ou seja o comer aquele fruto ainda não havia ocorrido?

Os antigos sábios hebreus consideram que Deus criou o homem com um lado bom e um mau ; eles chamam isso de boa e má inclinação. Em hebraico, as frases são yetzer hatov e yetzer hará …… a inclinação do bem (tov) e a inclinação do mal (rah).

Então, de acordo com essa visão, Havah ou Adão ou ambos estavam apenas agindo com suas inclinações malignas inerentes quando eles adicionaram ao mandamento de Deus,  as palavras “e não tocá-lo” e, em seguida, segundo quando desobedeceram ao Seu comando, comendo o fruto que Deus lhes dissera para não comer.

Sim, Havah tenta reprimir a culpa e diz que a serpente a “enganou”, mas é realmente ess caso? Tudo o que a serpente fez a princípio foi fazer uma pergunta, e a resposta de Havah não era verdade. Uma vez que ela contou uma mentira, o portão estava aberto Diabo a levou para o próximo passo a desobediência.

Observe também que Adão e Eva foram removidos do lugar sagrado do Jardim do Éden. A humanidade estava agora separada de Deus fisicamente e espiritualmente.

Deus colocou uma guarda angelical para manter Adão e Eva  afastados da Árvore da Vida , pois eles já haviam provado que não eram confiáveis.

Deus não podia permitir que eles se aproximassem; na verdade, eles nem podiam mais ficar dentro do jardim.

Repare novamente nessa direção, leste. Deus colocou sua guarda angelical na partriental do Jardim aparentemente havia uma entrada no Jardim a partir do leste. Portanto, agora temos o Jardim na partriental da Terra do Éden, anjo colocado no extremo leste do Jardim.

GEN. 4: 1 – 9

Aqui temos Caim e Abel, filhos de Adão e Havaá. E nós temos o primeiro assassinato registrado e esse talvez tenha sido o primeiro assassinato de um humano.

Capítulos 4, 5 e 6 (Leia Gênesis 4: 9 – fim)

É muito importante para nós entendermos isso: os primeiros humanos e seus primeiros filhos no começo da vida neste planeta, receberam a instrução do próprio Deus de que a conseqüência do pecado tem um preço alto; e esse preço é a morte.

Deus decidiu permitir por um tempo qu sangue de animais inocentes cobrisse, isto é, expiasss pecados do homem. Note que eu disse cobertura porqu pecado ainda estaria lá, apenas encoberto como uma roupa cobr corpo humano, como se a nudez de Adão e Havah estivesse encoberta.

No final, nossas roupas são simplesmente um meio de disfarçar nossa nudez. Mesmo sob esse disfarce a nossa nudez, como também o nosso pecado, ainda estão lá.

Por séculos e séculos, Deus forneceria uma cobertura aceitável, mas artificial, sobr pecado de todos aqueles que depositavam sua confiança n’Ele, e essa cobertura era o sangue de animais.

O sangue do animal serviria a um propósito espiritual (expiar o pecado) e a pele do animal serviria a um propósito físico, cobrindo os corpos nus dos seres humanos .

Mas Deus permitiu que Seu plano de Redenção avançasse, Yeshua mudaria tudo isso. Porque, ao contrário do sangue dos animais, o sangue do Messias não apenas cobria o pecado, mas o anulou enviou para longe.

Certamente a morte de Abbel,foi o primeiro assassinato biblicamente gravado. Agora, a primeira família da Terra ainda vivia no Éden, a Terra do Éden, não o Jardim. O Éden era um lugar especial, feito para o povo de Deus.

Deus decidiu banir Caim da Terra do Éden pelo derramamento do sangue de seu irmão, Senhor o envia ao LESTE para uma terra chamada Nod (Nod é traduzido como “errante”, e incorpora o sentimento de “inquietação” em seu significado)..

A propósito do sinal que Deus colocou em Caim para indicar que “ninguém” deveria prejudicá-lo, há uma opinião do Talmud interessante sobre esse versículo:

É que não foi colocado um sinal em Caim, mas ELE era um sinal; ele era um sinal para todos verem que qualquer um que cometesse “culpa de sangue” seria banido da terra e forçado a ir embora para fora do santuário.

O que vemos como resultado dessa história é que daqui em diante Caim será associado ao mal e à maldade. O simbolismo é tão forte aqui que no versículo 16 diz: “Então Caim deixou a presença de Adonai e viveu na terra de Nod (errante)

E não é verdade, no sentido simbólico, que, quando estamos longe da presença de Deus, quando estamos separados de Deus, estamos realmente em um estado de “errante” e inquietação?

O único descanso que existe para a humanidade é quando estamos na presença de Deus.

Portanto, Caim é o começo da fila de pessoas iníquas que deram as costas a Deus. Assim, somos apresentados à quinta geração de Caim, liderada por Lamech. Lamech está longe de Deus e Lamech quebra a instrução de Deus sobre a instituição do casamento de um homem e uma mulher unidos como uma só carne e ele toma DUAS esposas para si.

A linhagem de Caim era completamente perversa, sem Deus e corrompida, e isso em apenas cinco gerações após a criação do primeiro homem.

Veremos esse mesmo padrão surgir muitos anos depois do Grande Dilúvio, quando Noé, o 2º Adão, repovoa a Terra mas a maldade reaparece.

Mas quando Yeshua voltar,vai purificar o mundo inteiro e estabelecer Seu Reino perfeito por mil anos ,no final desse milênio, as pessoas mais uma vez demonstrarão maldade e se rebelarão contra o Messias.

E eles serão destruídos completamente, juntamente com Satanás, todo o mundo espiritual maligno e até a própria maldade. Somente então esse padrão  será finalmente quebrado de uma vez por todas.

O Deus todo-misericordioso dá a Eva outro filho que, a seu ver, substitui Abel, agora morto. Esse novo filho é chamado Seth que significa “compensação ou concessão”.

À medida que avançamos em nosso estudo, veremos que Seth é considerado a linha do bem, em oposição ao seu irmão Caim, que representa a linha do mal.

Enquanto Caim e seus descendentes vagavam cada vez mais longe de Deus, no versículo 26 diz que através de Seth “foi quando as pessoas começaram a invocar Adonai”

Em outras palavras, Seth levou as pessoas a buscarem orientação em Deus e também ofereceram ao Eterno seu louvor e adoração. .

O capítulo 5 termina com o nascimento dos 3 filhos de Noach, que repovoarão a terra após o Dilúvio.. No entanto, como Deus faz, esses três filhos foram separados, eleitos de todos os outros descendentes de Noé para se tornar o estoque genético  do bem  para toda a humanidade pós-dilúvio; incluindo nós.

Veremos outras referências a esses misteriosos Benei Elohim nas partes posteriores da Bíblia.

Os antigos hebreus certamente nunca sonharam com esse significado. Antes, eles viram qus Filhos de Deus eram simplesmente uma designação para a linhagem de Seth a linha de homens fiéis e piedosos.

Por outro lado, as mulheres (chamadas filhas dos homens) eram representantes da linhagem de Caim, a linhagem daqueles que se afastaram de Deus.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com