k’doshiym – Santos, Separados, Consagrados

Beit HaDerekh

k’doshiym – Santos, Separados, Consagrados

Compartilhe -

קְדוֹשִׁים   (Santos, Separados, Consagrados)

Referencias:
Lv 19:1-20:27,
Ez. 22:1-l9,
Ez 20:2-20,
Lc 3:1-4:44 

Kedoshim inicia-se com a ordem de D’us para toda a nação de Israel para ser santa, imitando a suprema santidade do próprio Criador.

A Torá prossegue com uma infinidade de mandamentos (mitsvot) através das quais podemos atingir a santidade, abrangendo uma grande variedade de assuntos, tanto mandamentos positivos como negativos, lidando com nosso relacionamento com D’us e com nosso próximo.

Recebemos ordens de temer nossos pais, guardar o Shabat e abstermo-nos da adoração de ídolos. D’us nos instrui a deixar vários presentes de nossa colheita para os pobres e oprimidos, incluindo o canto dos campos e os feixes que caíram por acaso ao serem juntados.

Devemos manter a justiça, fazer negócios honestos com nossos vizinhos, não praticar a maledicência, e de forma geral ter pelos outros a mesma consideração que temos por nós mesmos.

Segue-se uma descrição de várias categorias  proibidas:

Obedeçam às minhas chukot (estatutos). Não cruzem diferentes espécies de animais. Não plantem duas espécies de sementes na sua lavoura. Não usem roupas sha’atnez (feitas com dois tipos de tecidos) (Levítico 19:19).”

No Midrash  especifica que Caim trouxe para  D’us sementes de linho, e Abel trouxe ovelhas (lãs). Depois que Caim matou Abel, D-us decretou que “a oferta do pecador não deve ser misturado com a oferta dos inocentes (Midrash Tanhuma B’reishit 9:9).”

A Torá discute a proibição de consumir frutas nos primeiros três anos após o plantio de uma árvore.

A porção continua com uma lista das punições a serem impostas às pessoas que transgridem e participam das várias relações proibidas relacionadas na porção da semana anterior.

A Parashá Kedoshim conclui com o mandamento, mais uma vez, para que sejamos um povo santo e distinto dentre as nações do mundo.
Se você observar bem esta Parashá, verá que ela é uma repetição dos dez mandamentos de uma maneira mais bem explicada.

Toda Parasha tem a sua importância, mas esta se destaca por uma mudança repentina na forma como as palavras são dadas a Moisés.
Segundo os sábios, o padrão que o Eterno dá instruções a Moisés, é mudado nesta porção. O diálogo muda, o discurso muda, o ensino muda.
A nossa maneira de pensar, agir e sentir deve refletir os ideais do Eterno como, por exemplo, justiça, bondade e misericórdia.
Nós devemos cumprir todos os mandamentos, mas devemos nos concentrar nos mais elevados que são a justiça, bondade e misericórdia.

Os dois primeiros capítulos desta porção começam dizendo que:

Levítico 19
1 Disse mais o Senhor a Moisés:
2 Fala a toda à congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: Sereis santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo.

Porque o destaque “2 Fala a toda a congregação dos filhos de Israel”?
O padrão quase sempre nas Parasha anteriores era: O Eterno revela algo a Moisés, Moisés chamava Arão e transferia o conhecimento a ele, Arão chamava os filhos e Moisés repetia, os filhos de Arão chamavam os anciãos e Moisés repetia e depois aquilo era passado a toda a congregação de Israel.

Havia uma repetição e uma cadeia hierárquica tinha a missão de passar os mandamentos.

Qual foi a grande mudança? É que nesta Parasha o Eterno muda este padrão, começa dizendo, “Fala a toda congregação dos filhos de Israel e diga-lhes: KIDOSHIM sereis, pois Eu Adonay seu D’us sou santo”.

Pela primeira vez, o ensino foi dado a todos pelo Eterno e não de acordo com a hierarquia. Qual o motivo?

Diz o Talmud, que todo o legado ético e moral do povo judeu foi discriminado aqui nesta Parasha. Por esta mudança, entendemos que é um ensino para todos, e não somente para os judeus. Santidade é um mandamento dado por D’us para todos. Todos nós temos a capacidade em D’us de sermos santos. É ordem de D’us.

Mateus 23
23 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a ; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas. 24 Guias cegos! que coais um mosquito, e engulis um camelo.

Creio que Yeshua quando citava estas palavras baseava-se no livro de:

Miqueias 6:8
8 Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o Senhor requer de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benevolência, e andes humildemente com o teu Deus?  

 “No português foi traduzido como”, a justiça, a misericórdia e a fé, mas no hebraico, está escrito;

  • Mishpatim que foi traduzido como justiça, mas na realidade a tradução correta seria: “Os mandamentos éticos da Torá”, Mishpatim (משׁפטים).
  • Em segundo lugar está a palavra Chessed חֶסֶד que foi traduzida como misericórdia e na realidade é graça, pois o Senhor queria que agíssemos com graça com o nosso próximo,
  • E a terceira palavra é Emunah אֱמוּנָה que foi traduzida como fé, mas a melhor tradução seria fidelidade, confiança, pois no hebraico a fé não é algo abstrato, mas algo concreto. Significa agir de acordo com a confiança no Eterno.

Muitos entendem a fé de acordo com o pensamento grego que é bem diferente do pensamento judaico.
Eles acham que a fé é crer, eu creio no Eterno, eu creio que vou ser curado, eu creio que vou para o céu. É mais para um pensamento positivo do que fé.

No pensamento hebraico, Emunah significa agir de acordo com a fidelidade no Eterno.

Por exemplo, muitos dizem que creem na Bíblia, mas descumprem vários mandamentos, na verdade isso é uma contradição, diz que crê, mas age de uma forma diferente daquilo que você fala. Isto não é fé.

Se eu creio em algo eu vou agir exatamente da maneira que eu creio.
Exige-se uma ação concreta. Não adianta eu dizer que amo o próximo, eu tenho que ter ações que externalizem este amor para com o próximo.

Veja que no texto de Matheus que lemos, o próprio Yeshua deixa claro que existe mandamentos mais importantes do que outros.
E isto é importante você saber e realmente perceber que existem mandamentos mais importantes do que outros e que devemos nos esforçar para cumpri-los.

Por exemplo, ajudar os necessitados é um mandamento superior a usar Tsi-Tsi.
Ser Kadosh, ser santo, ser separado, significa buscar ser a imagem e semelhança de Elohim, não que isto seja um fato consumado, mas buscar a semelhança de Elohim é uma missão de vida.

Separado, consagrado para o uso de D’us. Para D’us usar da maneira que quiser.
E o que significa isto? Significa buscar a perfeição, pois o Eterno é perfeito.

Vamos entender um pouco esta santidade. O Eterno começa a Parasha dando uma ordem: Vocês serão santos e depois vai explicar como alcançaremos isto. A santidade que o Eterno prescreve não é uma santidade utópica é uma santidade real de ser conquistada. Santidade não é algo tão difícil assim, é mais fácil do que aprender inglês.

Nós temos aquele conceito que nos foi ensinado de maneira errônea que “Não há nada que possamos fazer para agradar a D’us, nada, nada do que eu fizer pode agradar a D’us.”. Deixe este ensino de lado porque isto não é bíblico.

Existe um mandamento para sermos santos, e nosso empenho para cumprir este mandamento agrada ao Eterno. Nossos frutos que são esperados por D’us agradam a Ele.

Mateus 5
48 Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celestial.

 A palavra perfeito em hebraico é a palavra TAMYIM   תָּמִים

Deuteronômio 18:13
13 Vocês devem ser íntegros (Tamim) com teu D-us:

 תָּמִים תִּהְיֶה עִם יְהוָה אֱלהֶיךָ

Tamim tiheié im Eloheichá Elolehá
Na Torá  a primeira letra da palavra Tamim (integro – perfeito) é escrita com uma letra ‘extragrande’ para enfatizar a importância da palavra.
Como buscar a perfeição? Buscar a perfeição começa com Humildade.
E a  Humildade começa com a consciência de que:

(1º) há um e Um só D-us.
(2º) e você não é ELE….

Isto é a prática de ‘saber diante de quem você está.
Em nosso relacionamento com D’us, Tamim significa ser ‘inteiro’ no sentido de ser sincero, integro e ‘totalmente empenhado’, com D’us neste mundo.
Caminhar na Torá do Senhor é o meio pelo qual somos capazes de andar humildemente com D’us.

Enquanto nós andamos na verdade de D’us, nós começamos a experimentar uma paz interior e um senso de alegria constante…  (isto não significa que não teremos aflições ou contratempos)

Não podemos ter uma mente indecisa que chacoalha como as ondas do mar. Por outro lado, a unidade da visão concentra a vontade e produz, convicção, estabilidade, paz interior (Shalom) e um caráter genuíno.

Tenho posto Adonay continuamente diante de mim; porquanto ele está à minha mão direita, não serei abalado.  (Salmo 16:8).

Alguém poderia perguntar: Como parar de ter uma ‘mente inconstante’? Como podemos parar de termos “duas mentes”, enfrentando essa ambivalência de querendo e não querendo algo?

O antídoto para uma “mente inconstante” está explicito nas Escrituras: ‘aproxime-se de D’us e ELE irá aproximar-se de você (Tiago 4:8).

Observe que o verbo usado nesse versículo (achegar-se!) significa chegar perto o suficiente para tocar alguém ou algo.

Somos encorajados a chegar tão perto de D’us que somos capazes de “toca-lo” – e ser tocado por ELE também.
Chegar perto de D’us é a única maneira de D’us se aproximar de você.

O objetivo desta Parasha é afastar o homem do pecado.
Esta Parasha tem 13 mandamentos positivos e 38 mandamentos negativos.

Mandamentos positivos são aqueles que o Eterno nos manda fazer algo.
Mandamentos negativos são aqueles que o Eterno nos proíbe de fazer algo.
Esta Parasha é tão importante que os 10 mandamentos são repetidos nela, não num único texto, mas eles estão espalhados dentro dela.

Levítico 19
18 Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor.

Muitos acham erradamente que o amor ao próximo foi um mandamento do NT. Não foi inventado por Yeshua, Ele não criou outra religião,
Ele não criou o Cristianismo, Ele era judeu e viveu plenamente o judaísmo e o judaísmo ensina o amor ao próximo.
Yeshua repetiu o que estava escrito na Torá.

Levítico 19 33 Quando um estrangeiro peregrinar convosco na vossa terra, não o maltratareis. 34 Como um natural entre vós será o estrangeiro que peregrinar convosco; amá-lo-eis como a vós mesmos; pois estrangeiros fostes na terra do Egito. Eu sou o Senhor vosso Deus.

Nós verificamos que o mandamento do amor não foi inventado por Yeshua como incorretamente pensam muitas pessoas.
Desde Moisés a Torá fala do amor, o problema é que o amor verdadeiro tem sido raro neste mundo.
O que significa amar o próximo? Segundo os sábios é amar todos os seres humanos sem distinção de raça, cor ou credo.

Segundo Hilel, que era chamado o Rabino do amor é não fazer aos outros o que você não gostaria que fosse feito a você.

1 João 4
8 Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.

 Vamos analisar alguns mandamentos: 

Levítico 19
27 Não cortareis o cabelo, arredondando os cantos da vossa cabeça, nem desfigurareis os cantos da vossa barba. 28 Não fareis lacerações na vossa carne pelos mortos; nem no vosso corpo imprimireis qualquer marca. Eu sou o Senhor. 

Não cortareis o cabelo em redondo. Um antigo costume pagão religioso exigia que o cabelo e a barba fossem aparados dessa maneira. Os pelos eram então usados em oferendas pagãs, em cerimônias com os mortos.

A proibição do costume tornou-se necessária para que os judeus fossem distinguidos dos pagãos.
Não ferireis a vossa carne. Proíbe-se qualquer desfiguramento voluntário da pessoa. Incisões e tatuagens no corpo, pois eram praticadas pelos pagãos.

Levítico 19
32 Diante das cãs te levantarás, e honrarás a face do ancião, e temerás o teu Deus. Eu sou o Senhor.

Ancião não é somente aquela pessoa de idade avançada, mas uma pessoa com profundo conhecimento da Torá. Se uma pessoa for relativamente jovem, mas possuir um profundo conhecimento da Torá ela é chamada de Ish ZaKen, Homem sábio, ancião.

           (Ish zaken)                            Ancião                   אִישׁ זָקֵן 

Como eu disse esta Parasha é uma repetição dos dez mandamentos e todos os dez se encontram aqui, não de uma forma onde todos estão unidos num só lugar, mas todos eles estão espalhados ao longo desta Parashá.

Então resolvi fazer um apanhado e uma comparação para vocês:

Acate a lei de D’us, pois ela nos conduz a salvação. Vamos aplicar a lei de D’us nas nossas vidas, trabalhar na nossa santidade a cada dia e esta santidade que nos faz separados para D’us nos transforma em homens e mulheres espirituais. 

 Isaías 6
3 E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o Senhor dos exércitos; a terra toda está cheia da sua glória

O que o Midrash diz sobre este versículo? Por que a palavra santo é repetida 3 vezes?
Porque são três coroas que estão com os anjos e o Eterno quer nos dar.

Quais são estas três coroas?

O louvor, a justiça e a misericórdia. Elas estão com os anjos, mas quando buscarmos a santidade nas nossas vidas elas serão dadas a nós, o Eterno transferirá estas coroas para nós.